Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Pinto Paixão

Político português, José Manuel Pinto Paixão nasceu a 9 de outubro de 1950, em Faro.
Em 1973, licenciou-se com 17 valores em Matemáticas pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Permaneceu neste estabelecimento de ensino onde fez quase toda a sua carreira de académico, até chegar a professor catedrático. Mas entretanto, em 1984, obteve o doutoramento pela Universidade de Londres no Imperial College of Science and Technology.
Pinto Paixão dedicou-se essencialmente à investigação científica, na área da estatística, e à investigação operacional. A nível de investigação científica dirigiu treze projetos para entidades públicas e privadas.
A sua atividade de investigação permitiu que escrevesse diversos artigos e relatórios científicos, alguns dos quais foram publicados em revistas e outras publicações portuguesas e estrangeiras. Foi ainda editor de duas publicações internacionais, de um livro e de uma edição especial de uma revista internacional.
Na Faculdade de Ciências colaborou, a nível de ensino, com instituições universitárias como o Instituto Superior Técnico da UTL, a Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL, a Faculdade de Economia da UNL e a Universidade da Madeira.
Ainda a nível de cooperação com outras instituições dirigiu e colaborou em projetos nas áreas de planeamento de produção, planeamento e gestão de transportes e otimização de circuitos de distribuição.
Em 1996, assumiu a presidência dos conselhos Diretivo e Científico da Faculdade de Ciências, cargos que desempenhou até 6 de fevereiro de 2002. Chegou ainda a presidente da Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e a membro do Conselho de Administração do Instituto de Ciência Aplicada e Tecnologia. No início de 2002, concorreu ao cargo de Magnífico Reitor da Universidade de Lisboa, mas foi derrotado nas eleições por José Barata-Moura, que já ocupava o posto. A 8 de abril de 2003, tomou posse como secretário de Estado do Ministro da Ciência e Ensino Superior, substituindo Manuel Fernandes Thomaz, que tinha a designação de secretário de Estado da Ciência e da Tecnologia. Passou assim a integrar o XV Governo Constitucional, liderado pelo social-democrata Durão Barroso, no que foi a sua estreia em atividades políticas.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Pinto Paixão na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-01 13:13:25]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais