Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Pombal

Aspetos Geográficos
O concelho de Pombal, do distrito de Leiria, localiza-se na Região Centro (NUT II) e no Pinhal Litoral (NUT III). Está situado na margem direita do rio Arunca e próximo da serra do Sicô, é limitado a norte pelo concelho de Soure e Figueira da Foz (ambos do distrito de Coimbra), a sul por Ourém e Leiria, a este por Ansião e Alvaiázere e a oeste estende-se até ao oceano Atlântico.
No total abrange uma área de 625,7 km2 e é constituído por 17 freguesias: Abiul, Albergaria dos Doze, Almagreira, Carnide, Carriço, Guia, Ilha, Louriçal, Mata Mourisca, Meirinhas, Pelariga, Pombal, Redinha, Santiago de Litém, S. Simão de Litém, Vermoil e Vila Cã.
Convento do Louriçal, em Pombal
Brasão do concelho de Pombal
Igreja Matriz de Pombal, cuja torre sineira foi erguida em 1677
Igreja de N. Sra. do Cardal, em Pombal
A arquitetura da cidade, com o castelo ao fundo
Em 2005, o concelho apresentava 57 985 habitantes.
O natural ou habitante de Pombal denomina-se pombalense.
História e Monumentos
Pombal apresenta vestígios do período neolítico e romano - foram encontradas moedas romanas nas obras de restauro do castelo.
No início do século XII, a Ordem dos Templários deixou marcas da sua presença na região, tendo sido construída, em 1147, uma fortaleza militar - o castelo de Pombal, no morro de Santo Amaro - por Gualdim Pais, mestre da Ordem dos Templários.
O seu foral foi concedido em 1174 e renovado dois anos mais tarde, em 1176.
Pombal foi elevada a cidade na década de 90 do século XX.
Em 1519, D. Manuel ordenou a recuperação do castelo que veio a ser a residência do alcaide-mor da vila, o Conde de Castelo-Melhor.
No período entre 1777 e 1782 este concelho foi residência do Marquês de Pombal, que mandou construir a cadeia e o celeiro na Praça Velha e a real Fábrica de Chapéus na Quinta da Gramela.
Nos finais do século XVIII a estrada real foi desviada para Pombal e construiu-se uma ponte sobre o rio Arunca.
Em 1811 Pombal foi invadido pelas tropas francesas que saquearam e incendiaram toda a povoação, pondo fim a todo o desenvolvimento que a região vinha ganhando.
Mais tarde, em 1833, a localidade foi abandonada e isolada, devido a um surto de cólera que matou muita gente.
Este isolamento só foi ultrapassado em 1855 com a construção da linha-férrea, que permitiu a comunicação rápida e fácil com os principais centros de Portugal.
Face à sua história, Pombal é dotado de um vasto rol de monumentos, como o Celeiro do Marquês, o Castelo de Pombal (1171; Gualdim Pais), que ainda hoje constitui uma das fortalezas mais bem preservadas do país, a Igreja de Sta. M. do Castelo (séc. XVI, D. Manuel I); a Igreja Matriz de S. Martinho que data da Idade Média; a Igreja do Cardal, de estilo barroco e onde se encontra sepultado o Marquês de Pombal; o Convento de Sto. António, a Torre do Relógio Velho, obra de D. Pedro; a cadeia mandada construir pelo Marquês de Pombal e cuja finalidade parece ter sido a de tapar o sol da Casa dos Condes de Castelo Melhor; a estátua do Marquês de Pombal no Jardim do Cardal; o Solar da Quinta da Gramela, a Casa do Marquês, que passou aqui os últimos anos da sua vida, e outras casas brasonadas.
Na freguesia de Abiul existe a mais antiga praça de touros do país, palco de atuação de corridas de toiros de gala à antiga portuguesa.
Tradições, Lendas e Curiosidades
Todos os anos se realizam várias festas no concelho, das quais se salientam: a de Santo Amaro a 15 de janeiro e a festa da Chouriça, também em janeiro, em Ilha; em abril tem lugar a festa de S. Jorge, em Seixos, Redinha; em junho decorre a feira da Guia, em Guia; a festa dos Manjericos, no dia 13 de junho em Mata Mourisca; as festas de S. João no dia 24 de junho, em Pelariga e Carriço; em julho ocorre a festa do Bodo e as festas de N. Sra. da Conceição, no último fim de semana, em Redinha; em agosto têm lugar as touradas tradicionais de Abiul, no primeiro fim de semana, a festa de N. Sra. das Neves, no dia 5 e a festa de N. Sra. das Dores, no primeiro domingo, em Meirinhas; as festas de Carnide, no primeiro domingo, em Carnide; as festas de N. Sra. da Boa Morte, nos dias 14 e 15, em Louriçal; em outubro têm lugar as festas de N. Sra. do Rosário, no primeiro fim de semana, em Vila Cã; por fim, em novembro ocorrem as festas de S. Martinho, no dia 11, e de Sta. Clara.
O feriado municipal decorre a 11 de novembro.
Do artesanato típico do concelho sobressaem os trabalhos de figuras de barro em louça de barro vidrado, em madeira, cortiça, lata e arame, os tapetes, as cestas, as esteiras de bracejo, a cerâmica pintada à mão e a tecelagem de mantas em tear manual.
Economia
No setor primário destacam-se as culturas de arroz, as pequenas hortas associadas a uma policultura, os cereais e a fruta.
No setor secundário destacam-se as indústrias alimentar, de vestuário, de cerâmica e a indústria extrativa de caulinos e areias.
No setor terciário destaca-se o comércio a retalho.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Pombal na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-22 03:27:00]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais