Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Ponte de Sor

Aspetos Geográficos
O concelho de Ponte de Sor, do distrito de Portalegre, localiza-se no Alentejo (NUT II), no Alto Alentejo (NUT III). Ocupa uma área de 839,5 km2 e abrange sete freguesias: Galveias, Montargil, Ponte de Sor, Foros de Arrão, Longomel, Vale de Açor e Tramaga.
O concelho encontra-se limitado a nordeste pelo concelho do Crato, a norte por Gavião e Abrantes (distrito de Santarém), a este por Alter do Chão e Avis, a sul por Mora, no distrito de Évora, a sudoeste por Coruche e a oeste por Chamusca e Abrantes.
Ponte de Sor e o rio Sor
Brasão do concelho de Ponte de Sor
Barragem, albufeira e central hidroelétrica de Montargil, no concelho de Ponte de Sor
O concelho apresentava, em 2005, um total de 17 673 habitantes.
O natural ou habitante de Ponte de Sor denomina-se ponte-sorense.
Possui um clima marcadamente mediterrânico, caracterizado por uma estação seca, bem acentuada no verão, e por uma precipitação irregular.
O edificado estende-se na transição da planície alentejana para os montados do Alto Alentejo, na interseção de um nó de uma importante via de comunicação. O relevo é pouco acidentado, apresentando uma morfologia suave, com altitudes que pouco ultrapassam os 200 m e onde se destacam dois montes, Barracão (185 m) e Cabeços (203 m).
Como recursos hídricos, possui a ribeira de Sor, a ribeira de Andreu, a ribeira do Vale de Boi, a ribeira do Maltim, a ribeira do Arrão e a barragem e albufeira de Montargil.
História e Monumentos
Existem referências a estas terras, que datam do final do século III, no reinado do imperador romano Marco Aurélio Probo, como fazendo parte da via militar romana entre Olissipo (Lisboa) e Mérida. Na Idade Média, a ponte sobre a ribeira de Sor ruiu trazendo o isolamento à povoação. No reinado de D. Sancho I, em 1199, a Sé de Évora concedeu o primeiro foral à vila. No reinado de D. Duarte, na altura de um surto de peste em Lisboa, a Corte refugiou-se neste concelho.
Em agosto de 1514, foi-lhe outorgado novo foral, por D. Manuel I.
A origem do topónimo deve-se à existência da ponte romana sobre a ribeira de Sor, sendo esta o ex-líbris do concelho.
Ao nível do património arquitetónico e monumental, destaca-se a ponte de Sor, originariamente romana, do reinado de D. João VI.
Destacam-se ainda a Igreja Matriz, do século XVII, reedificada após um incêndio e que apresenta um belo altar de ferro forjado na janela da sacristia; a Igreja da Misericórdia, anterior a 1731; as capelas de S. Pedro e de Santo António, datadas do século XVII, e a Igreja de Nossa Senhora da Orada.
Tradições, Lendas e Curiosidades
Das manifestações populares e culturais, a referência vai para as festas da cidade, na segunda semana de julho, em que decorrem várias atividades, como um festival folclórico, espetáculos e um festival de artesanato e gastronomia; a festa de Nossa Senhora dos Prazeres, entre 13 e 15 de agosto; o piquenique de confraternização e o feriado municipal, na segunda-feira de Páscoa; a feira de São José, no dia 19 de março, e a feira de S. Francisco, que decorre de 4 a 6 de outubro.
No artesanato, são de referir os bordados, as rendas, as malhas, a cestaria de vime, os trabalhos decorativos de cortiça, de mármore e de madeira.
Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor terciário e secundário. No secundário destacam-se as indústrias de extração de cortiça, descasque de arroz, cerâmica, azeite, laticínios e montagem de veículos automóveis. No setor primário, de menor importância na economia concelhia, o destaque vai para a sua vasta área florestal.
Na agricultura, predominam os cultivos de cereais para grão, prados temporários e culturas forrageiras, as leguminosas secas para grão, o pousio, o olival, prados e pastagens permanentes. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de aves, ovinos e suínos.
Quase 53% (15 649 ha) do seu território está coberto de floresta, prevalecendo o montado de sobreiros.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Ponte de Sor na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-07 08:56:02]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros