Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Querela das Investiduras

Numa época de grande fraqueza do poder papal - o século X -, os imperadores germânicos (Otões) permitiram-se escolher diretamente doze papas e depor cinco. Neste quadro de supremacia do poder temporal sobre o espiritual, a Igreja inicia uma tentativa de contrariar essa tendência e de reforçar o seu próprio poder. A partir do ano mil, este vento de reforma que começa a soprar sobre a Igreja consolidar-se-á, pelo papado, com o problema da investidura dos bispos: devem estes ser designados pelo Papa ou pelo Imperador?
Os imperadores não pretendiam renunciar à nomeação, que até então efetuavam, de dignatários, dispondo de um poder temporal considerável.
O confronto atingiu o seu ponto culminante e crítico durante o reinado de Henrique IV (1050-1106). Este recusou o entendimento com o Papa Gregório VII e, em 1076, fê-lo depor teoricamente através da dieta de Worms. O Papa respondeu, depondo e excomungando Henrique IV, preparando igualmente uma coligação para o combater. O Imperador teve que ceder e, na entrevista de Canossa, humilhar-se perante si. Este episódio constitui a maior provação da história do Império.
Excomungado uma segunda vez, Henrique e o seu exército marcharam sobre Roma (1084) e forçaram o Papa a um exílio, onde acabará por morrer. Finalmente, porém, consegue-se um acordo, através de uma fórmula intermédia: os bispos serão investidos como pastores espirituais pelo Papa, antes de serem como senhores temporais pelo soberano.
Mais tarde renascerão as dissensões entre o Império e o papado, com Frederico I Barba-Roxa a tentar dominar os territórios italianos. Este imperador também se humilhou em Veneza, em 1177, portanto um século depois de Canossa, perante Alexandre III, recuperando pela Paz de Constança, em 1183, o seu domínio sobre a península itálica.
Com Frederico II, na primeira metade do século XIII, as lutas entre o sacerdócio e o Império atingiram o auge. Os papas Inocêncio III (falecido em 1216), Gregório IX (1227-1241) e Inocêncio IV (1243-1254) enfrentaram o Imperador com sortes diferentes. O papado saiu, aparentemente, vitorioso no Concílio de Lyon, com a excomunhão e deposição de Frederico II.
Contudo, o espetáculo do imperador Henrique IV reduzido a mendigar a intercessão da condessa Matilde da Toscânia para obter o perdão papal, mesmo apesar do sucesso ulterior da sua política, abalou desde sempre o imaginário alemão, a ponto de, no século XIX, Bismarck legitimar o seu conflito com os católicos e o Papa com o argumento de que os Alemães não mais deveriam retornar a Canossa.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Querela das Investiduras na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-01 13:00:09]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais