Natal WOOK
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Quo Vadis

Adaptação cinematográfica do romance de Henryk Sienkiewicz, foi realizado por Mervyn LeRoy em 1951 e contou com Robert Tayler, Deborah Kerr, Peter Ustinov e Leo Genn nos principais papéis. A ação desenrola-se no ano 64, numa Roma governada pelo despótico e inconstante Nero (Peter Ustinov). O General Marcus Vinicius (Robert Taylor) regressa a casa após uma campanha militar bem-sucedida na Bretanha. Durante uma visita a casa de um antigo militar, apaixona-se por Lygia (Deborah Kerr), sua filha adotiva que fora feita refém anos antes. Vinicius apressa-se a visitar Petrónio (Leo Genn), o mais respeitado conselheiro de Nero e solicita-lhe que peça ao imperador a posse de Lygia. Após o ter conseguido, Vinicius toma conhecimento de que tanto a jovem como os seus pais adotivos são cristãos. Gradualmente apercebe-se que a corte está dominada pela intriga e pela corrupção e que Nero é assolado por pensamentos megalómanos. Uma noite, em busca de inspiração, o imperador manda a sua Guarda Imperial incendiar a cidade de Roma e Vinicius consegue, com muito esforço salvar a sua amada. Preocupado com a reação da população, Nero aceita a sugestão da sua esposa Popéia em atribuir as culpas do incêndio aos Cristãos. Estes começam a ser perseguidos e mortos no Coliseu para gáudio da população. Esta grande produção foi filmada inteiramente em Itália e é considerada a precursora dos grandes filmes bíblicos. Para os anais ficaram cenas espetaculares como o incêndio de Roma, Ursus a defender a sua ama Lygia das investidas de um touro em pleno Coliseu e a Revelação de Cristo a S. Pedro quando este se preparava para abandonar a cidade juntamente com o pequeno Nazário. Genn e Ustinov foram nomeados para o Óscar de melhor ator secundário pelo desempenho de personagens completamente distintas: o ponderado Petrónio e o louco Nero, respetivamente. Ambos perderam o galardão para Karl Malden pela sua prestação em A Streetcar Named Desire (Um Elétrico Chamado Desejo, 1951).
Representação do incêndio de Roma, por Cefaly Andrea, um dos cenários de "Quo Vadis"
Representação do incêndio de Roma, por Hubert Robert, um dos cenários de "Quo Vadis"
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Quo Vadis na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-12-09 15:14:28]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río