Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Designação de animais do filo ou tipo dos cordados, da classe dos anfíbios, da ordem dos anuros e da família dos Ranidas que envolve cerca de cinquenta géneros e seiscentas e cinquenta espécies. São anfíbios saltadores e nadadores, com pele lisa e nua.
A maior parte das espécies europeias vivem nas margens dos charcos, ribeiros, rios, etc. A rã típica é a do género Rana especialmente a rã-verde. As rãs com uma atividade essencialmente diurna, deslocam-se em grandes saltos. O seu canto pode ser ouvido a qualquer hora, apresentando diferentes tipos de modelação e torna-se mais sonoro durante o período de reprodução. A rã-verde (Rana perezi) é a maior rã europeia, podendo os adultos atingir o comprimento de quinze centímetros.
É essencialmente aquática, vivendo tanto nas águas correntes dos rios e ribeiros, como nas águas paradas. Pouco se afasta dos terrenos onde cresce e hiberna meio submersa, em buracos nas margens. O seu sistema respiratório está muito adaptado ao mergulho, requerendo apenas ocasionais vindas à superfície, onde se deixa flutuar com a parte superior da cabeça imersa. A rã é originária da Península Ibérica, sul de França, Baleares, Noroeste de África tendo sido também introduzida nos Açores e nas Canárias. Em Portugal aparecem em todo o território uniformemente distribuídas. A rã é extremamente voraz alimentando-se de vermes, insetos, lesmas, larvas e ovos de peixes e anfíbios. Os seus membros posteriores são muito longos, mais compridos que os anteriores, e apresentam um tubérculo mole e fraco na zona de inserção da perna com o pé e uma membrana interdigital forte ligando os dedos em toda ou quase toda a sua extensão. A cor pode variar em função do ambiente, apresentando geralmente diferentes tons de verde. Os machos possuem sacos vocais externos bem desenvolvidos. A reprodução ocorre em geral na primavera, mediante um aparelhamento axilar pouco demorado.
Rã-touro comendo uma rã de outra espécie de menores dimensões
A rã-verde (Rana perezzi) é um animal anfíbio
Membranas interdigitais da pata de uma rã
Girinos de rã em diferentes fases de desenvolvimento
Rã castanha (Rana iberica)
Rã verde (Rana perezi)
Cada fêmea põe de cinco a dez mil ovos, que formam agregados e caem para o fundo da água.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-09-24 17:32:10]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros