Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Radcliffe-Brown

Antropólogo social inglês, Alfred Reginald Radcliffe-Brown nasceu em 1881, em Birmingham, na Grã-Bretanha. Após estudar Antropologia em Cambridge, levou a cabo trabalhos de campo nas Ilhas Andaman (1906-1908) e no oeste da Austrália (1910-1912), que serviram de base para as obras The Andaman Islanders (1922) e The Social Organization of Australian Tribes (1930).
Nestes trabalhos, Radcliffe-Brown desenvolve muitas das teorias e conceitos em que fundou todo o seu pensamento antropológico e social. Prestando especial atenção às questões da organização familiar e à estrutura do parentesco, Racliffe-Brown procurou explicar a realidade social como um sistema ativo em que os diferentes elementos interdependentes funcionam consistentemente para o equilíbrio geral. Esta perspetiva estrutural-funcionalista, que dominou durante várias décadas a antropologia social, foi, nesta área do conhecimento, essencialmente desenvolvida por Bronislaw Malinowski e pelo próprio Radcliffe-Brown, que pretendia, através do estudo comparativo dos povos ditos primitivos, descobrir as leis gerais sobre o funcionamento das sociedades humanas.
Apesar disso, as suas maiores contribuições reportam-se ao campo teórico e menos à etnologia (que distinguia claramente da antropologia social, por considerar aquela uma atividade meramente descritiva), e encontram-se presentes nas suas obras mais importantes: Structure and Function in Primitive Society (1952) e Method in Social Anthopology: Selected Essays (1958), em que Radcliffe-Brown deixa bem claras as suas posições estruturais-funcionalistas e a importância que atribui aos conceitos de "processo social" e "estrutura social", por si unidos no conceito de "função".
A. Reginald Radcliffe-Brown, antropólogo social inglês
Radcliffe-Brown desenvolveu, em grande parte, o seu trabalho académico e de docência fora da Grã-Bretanha. Foi professor de Antropologia na Universidade da Cidade do Cabo (1921- 1925), Sidney (1925-1931) e Chicago (1931-1937), antes de regressar à Universidade de Oxford, em 1937. Professor dedicado e reputado, Radcliffe-Brown foi um dos mais importantes nomes da Antropologia Social contemporânea, alcançando vasto reconhecimento científico e académico, que lhe valeram, entre outras distinções, a presidência do Instituto Real de Antropologia (Londres), entre 1939 e 1949.
Radcliffe-Brown morreu em 1955, em Londres, tendo deixado um grande conjunto de obras como, por exemplo, The Tribes of Western Austrália (in Journal of the Royal Anthropological Institute, 43, 1913); The Definition of Totemism (in Anthropos, 9, 1914); Notes on Totemism in Eastern Australia (in Journal of the Royal Anthropological Institute, 59, 1929); Kinship and Marriage (1950, com D. Forde).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Radcliffe-Brown na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-02 03:58:17]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros