Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Resende

Aspetos Geográficos
O concelho de Resende, do distrito de Viseu, ocupa uma área de 122,5 km2 e abrange 15 freguesias: Anreade, Barrô, Cárquere, Feirão, Felgueiras, Freigil, Miomães, Ovadas, Panchorra, Paus, Nelas, São Cipriano, São João da Fontoura, São Martinho de Mouros e São Romão de Aregos.
O concelho apresentava, em 2005, um total de 12 062 habitantes.
Brasão do concelho de Resende
O natural ou habitante de Resende denomina-se resendense.
O concelho encontra-se limitado a norte por Baião (distrito do Porto) e Mesão Frio (distrito de Vila Real), a este por Lamego, a oeste por Cinfães e a sul por Castro Daire.
Possui um clima marítimo de transição e/ou de climas diferenciados, consoante a disposição topográfica e o gradiente térmico as temperaturas são mais elevadas nas áreas de menor altitude, assim como é mais chuvoso nos lugares cujas vertentes estão voltadas a poente.
A sua morfologia é relativamente acidentada, destacando-se como áreas de maior altitude a serra do Poio (1094 m), a Seculca (891 m) e a Quintãs (893 m).
Como recursos hídricos, possui o rio Cabrum, o rio Douro e a ribeira de Martinho.
História e Monumentos
Resende como povoação existe desde a Pré-História como o comprovam os vestígios arqueológicos como os monumentos funerários de Cárquere, o castro de Aregos e as sepulturas abertas na rocha, anteriores à romanização.
As origens senhoriais de Resende encontram-se associadas aos "julgados" ou terras medievais de Aregos e S. Martinho de Mouros, que foram concelhos extintos pelas reformas, em meados do século XIX.
Em 1130, D. Afonso Henriques doou as terras a Egas Moniz.
As terras de Aregos pertenceram ao senhorio dos Gascos, de Ribadouro, linhagem dos primeiros conquistadores e a que ficou associado o nome de Egas Ermiges, tio de Egas Moniz.
Segundo a tradição, o topónimo deve-se ao nome do fundador, ou primeiro povoador, Rausendo Ermiges.
Ao nível do património histórico e arquitetónico, destacam-se a Igreja de Barrô, em Cetos, de estilo românico, com um portal com múltiplas arquivoltas e capitéis decorados com elementos fitomórficos e o tímpano com óculo decorado. De realçar a cachorrada, a torre sineira, a rosácea e no interior os capitéis, a capela-mor, a talha e os caixotões. A Igreja de Nossa Senhora, matriz de Cárquere, do século XII, é um templo manuelino que possui uma torre defensiva e medieval e a capela-mor é gótica, ambas fazendo parte da estrutura conventual que pertenceu aos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, nos séculos XII a XVI, e a partir daí aos Jesuítas.
Merece referência ainda a Igreja de São Martinho de Mouros, de estilo românico, da qual o primeiro corpo forma uma torre rematada por um campanário com oito ventadas. No interior existem duas colunas que são os suportes internos da torre. O portal tem arquivoltas múltiplas com capitéis decorados.
Destacam-se também o Santuário de Nossa Senhora de Cárquere, cujo templo é manuelino e a capela-mor é gótica dos fins do século XIII. No seu interior realce para duas imagens que representam a Nossa Senhora, a Branca, de pedra de ançã, do século XIV, e Nossa Senhora de Cárquere, escultura em marfim. E, ainda, a Torre da Lagariça, que é uma torre de habitação medieval à qual foram anexadas construções.
Tradições, Lendas e Curiosidades
São muitas as manifestações populares e culturais no concelho: as festas da Labareda (as festas do concelho), que decorrem a 29 de setembro, a festa de São Cristóvão, a 25 de junho, a festa de Santo António, a 13 de junho, a festa do padroeiro de Paus, a 29 de junho, a festa da Senhora da Guia, a 17 de agosto, a festa do Senhor do Calvário, a 31 de agosto, a festa de S. Salvador, a 6 de agosto, e a festa da cerejeira em flor, em Paus. Esta festa ocorre geralmente no início da primavera, quando as cerejeiras estão em flor, sendo a cereja um dos frutos mais típicos de Resende.
No artesanato, destacam-se os trabalhos de cestaria.
Economia
A economia do concelho encontra-se ainda dependente do setor primário, contudo, nos últimos anos tem-se verificado um decréscimo deste em detrimento dos setores secundário e terciário. Assim, o setor primário absorve cerca de 47% da população trabalhadora, o setor secundário cerca de 20%, nomeadamente na indústria de construção civil, na indústria alimentar e de bebidas e na de produção de eletricidade, enquanto que o setor terciário absorve cerca de 33%.
No que se refere à atividade agrícola, predominam os cultivos de cereais para grão, frutos frescos, prados temporários e culturas forrageiras, batata, prados, pastagens permanentes e vinha. Nos frutos frescos, a cultura preponderante é a cereja, existindo uma empresa de média dimensão que procede à recolha do produto e sua distribuição.
A pecuária detém também alguma importância, nomeadamente na criação de ovinos, coelhos e aves. Quase 34% (460 ha) do seu território está coberto de floresta.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Resende na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-22 12:57:50]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros