Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Rosa Montero

Escritora e jornalista espanhola, nasceu a 3 de janeiro de 1951, em Madrid.
Entre os cinco e os nove anos esteve retida em casa por sofrer de tuberculose e foi nessa época que começou a ler e a escrever com assiduidade.
Depois de curada, regressou à escola para frequentar o Instituto Beatriz Galindo, em Madrid. Aos 17 anos, inscreveu-se na Faculdade de Filosofia mas, no ano seguinte, em 1969, mudou para a Escola de Jornalismo. Ao mesmo tempo, fazia teatro independente.
No verão de 1970, começou a escrever alguns artigos no diário Informaciones, de Alicante, seguindo-se uma colaboração na revista Tele-Radio e em diversos órgãos da Imprensa. A partir de 1976 passou a trabalhar exclusivamente para o diário espanhol El Pais e, dois anos depois, ganhou o prémio Mundo de entrevistas, uma área onde se especializou.
Realizou o sonho que acalentava desde a infância, o de se tornar escritora, em 1979, com o lançamento do seu primeiro romance Crónica del desamor.
Trabalhou também em televisão, na TVE, tendo sido enviada especial a países como França, Grécia, Iraque, Suíça, Estados Unidos da América, Austrália, Índia e a vários da América Latina.
Em 1980, ganhou em Espanha o Prémio Nacional de Jornalismo relativo a entrevistas e artigos literários. Entretanto, entre 1980 e 1981, foi redatora-chefe do suplemento de domingo do El Pais. Neste último ano, foi para Londres onde terminou a elaboração do romance La Función Delta e publicou o livro de entrevistas Cinco años de país, uma coletânea de vinte entrevistas publicadas no El País entre 1977 e 1981.
Dois anos depois, publicou o romance hiper-realista Te trataré como una reina, que foi um bestseller em Espanha em 1984. Passado três anos, voltou a ganhar o Prémio Mundo de entrevistas e, no ano seguinte, publicou mais um romance Amado amo, um novo sucesso de vendas. Em 1990, lançou Temblor, seguindo-se o conto juvenil El nido de los sueños em 1992, Bella y oscura em 1993, La vida desnuda em 1994 e uma série de histórias infantis. Ainda em 1994, em parceria com a compositora Marisa Manchado, escreveu o libreto da ópera El cristal de agua fría, baseada no seu romance Temblor.
Em 1995, editou Histórias de Mulheres, que chegou a Portugal em 1997, composto por biografias de mulheres como Agatha Christie, Simone de Beauvoir, Frida Kahlo, entre outras. Volvidos dois anos, Rosa Montero ganhou o I Prémio primavera de Novela com o romance La Hija del Canibal (A filha do canibal).
Em 1999, ganhou o Primeiro Prémio Literário e de Jornalismo Gabriel García Marquez do Instituto La Laguna de Madrid em reconhecimento pelo seu trabalho no El Pais.
No ano 2000, chegou a Portugal Paixões, uma recolha de 18 histórias reais de amor publicadas inicialmente no El País. No ano seguinte, um conto seu, Parecia o Inferno, integrou o livro Histórias do Mar, de que faziam parte histórias de autores como Luís Sepúlveda e Antonio Sarabia.
Das suas obras publicadas contam ainda o romance O Coração do Tártaro, editado em Portugal em 2003; A Louca da Casa, de 2004, uma obra sobre a imaginação, onde mistura géneros como o romance, a biografa e o ensaio; e História do Rei Transparente, lançado em 2006, um livro que reporta ao século XII, em plena idade média, e constitui um retrato da condição humana, tendo como personagem principal uma mulher que, para se proteger, veste a pele de um soldado que morreu em batalha.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Rosa Montero na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-21 06:01:13]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros