Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Rui Vilar

Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian desde 1996, Emílio Rui da Veiga Peixoto Vilar exerce, também desde esse ano, o cargo de presidente do Conselho de Auditoria do Banco de Portugal.
Nasceu em 1939, no Porto. Terminou a sua licenciatura em Direito pela Universidade de Coimbra em 1961.
Ocupou diversos cargos governativos, como o de secretário de Estado do Comércio Externo e Turismo do I Governo Provisório e o de ministro da Economia dos II e III Governos Provisórios e o de ministro dos Transportes e Comunicações do I Governo Constitucional (1976-1978). Em 1976 foi eleito deputado à Assembleia da República.
Do seu vasto currículo merece ainda destaque o exercício de outros cargos. Rui Vilar foi membro do Conselho Nacional do Plano, presidente do Conselho de Gestão do Banco Espírito Santo e Comercial de Lisboa, diretor geral da Comissão das Comunidades Europeias (1986-1989), presidente do Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos (1989-1995), comissário-geral para a Europália 91, fundador e primeiro presidente do Conselho Coordenador da Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, fundador do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento, presidente da Câmara de Comércio Luso-Britânica (1984-1986), vice presidente da Fundação de Serralves (1989-1990) e presidente da Assembleia Geral do Centro de Informação Jacques Delors.
Rui Vilar foi distinguido, entre outras condecorações, com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e com a Grã-Cruz da Ordem do Infante.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Rui Vilar na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-09-25 03:03:35]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais