Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Ruínas do Castelo de Castro Laboreiro

Na grande mancha verdejante do Alto Minho surge, abruptamente, um elevado maciço rochoso abrigando a povoação de Castro Laboreiro - nas palavras de Miguel Torga, cenário de "um mundo de primária beleza, de inviolada intimidade".
Com efeito, a uma altitude de aproximadamente 1033 metros aparecem, severas e impressionantes, as ruínas do desmantelado castelo de Castro Laboreiro, vigiando silenciosamente o vale do Rio Laboreiro.
Antiga sede de concelho na Idade Média, Castro Laboreiro conserva ainda vestígios materiais do seu roqueiro castelo medievo. As origens desta localidade minhota remontam à proto-história, como o confirmam as ruínas de mais de duzentas habitações de um antigo castro.
O castelo foi fundado no ano de 955, por iniciativa de S. Rosendo, "Governador del Val del Limia" nomeado pelo rei de Leão, D. Ordonho III. O primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, conquistou este castelo aos leoneses em 1140, mandando-o reparar cinco anos mais tarde, já que este se situava estrategicamente implantado para vigiar a fronteira galega. Alguns anos depois, esta primeira edificação militar românica foi severamente danificada por um temporal. A sua reconstrução deveu-se, com toda a probabilidade, à ação de D. Dinis, que o restaurou e fortaleceu.
Ao longo da História nacional, o Castelo de Castro Laboreiro registou episódios de relevo, sendo chamado à defesa do reino após a Restauração de 1640. No ano de 1715, este castelo ficou sem guarnição, entrando num processo de inevitável declínio e consequente degradação da sua estrutura defensiva. Restaurada no século XX pela Direção-Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN), esta fortaleza medieval está classificada como Monumento Nacional.
Atualmente, da sua volumetria medieval subsistem alguns panos de muralha aparelhados e um portal de arco de volta perfeita - a Porta de D. Sago, denominada pelos seus habitantes por Porta do Sapo. Levantadas do chão, as muralhas do castelo parecem ter criado profundas raízes com o granito da rocha em que solidamente se apoiam.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Ruínas do Castelo de Castro Laboreiro na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-14 01:52:36]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais