Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Santo Alberto Magno

Santo Alberto Magno nasceu por volta de 1206, em Laningen, na Suábia (atual Alemanha), e morreu a 15 de novembro de 1280, em Colónia. Monge dominicano desde os 17 anos em Pádua. Em 1240 é professor na Universidade de Paris e depois em Colónia. É bispo de Ratisbona, entre 1257 e 1260, e membro do Concílio de Lyon. Foi mestre de S. Tomás de Aquino.
Santo Alberto Magno é conhecido sobretudo como filósofo e teólogo, mas dedicou-se também à ciência (em áreas tão díspares como a Mineralogia, Botânica, Zoologia e Astronomia). Separava claramente a filosofia da teologia, considerando que a primeira seguia apenas a razão, enquanto que a segunda se apoiava na revelação e inspiração divinas.
Procurou defender o cristianismo do averroísmo (que considerava um aristotelismo arabizado) e esta sua preocupação leva-o a procurar subordinar o aristotelismo à fé cristã, sendo, no entanto um estudioso profundo da obra de Aristóteles, o qual seguiu em muitos aspetos. Insurgiu-se contra a corrente franciscana, à frente da qual estava a proeminente figura de S. Boaventura, e que seguia a via do platonismo. Alberto foi muito influenciado pelas posições assumidas por Avicena.
Imagem do santo Alberto Magno, filósofo, teólogo e místico do século XIII
Santo Alberto Magno não se limitou a estudar a obra de Aristóteles, tratou de a recriar com a sua própria experiência e observação. Aceita as posições da época relativamente à magia, astrologia e alquimia, que estuda e aprofunda.
Alberto Magno não foi apenas um filósofo, foi também um místico que se situou entre a filosofia aristotélica e a mística neoplatónica de pseudo-Dionísio, o Areopagita. É neste âmbito que Alberto defende que a teologia deve servir para preparar a mística. Na mesma linha de pseudo-Dionísio, atribui uma grande importância à teologia negativa (de Deus só podemos dizer aquilo que não é). A alma deve-se purificar asceticamente para ser iluminada por uma "luz angélica" que, não sendo Deus, procede de Deus, embora nesta vida o homem não veja Deus, mas possa apenas dEle receber sinais. Esta preparação e purificação da alma deve levar à experiência mística de Deus, mas não por via da razão, que é débil para apreender a imensidão divina.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Santo Alberto Magno na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-16 18:47:23]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros