Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Sete Anos no Tibete

Drama de aventura norte-americano realizado em 1997 por Jean-Jacques Annaud, Seven Years in Tibet foi interpretado por Brad Pitt, David Thewlis, Jamyang Jamtsho Wangchuk, Lhapka Tsamchoe, B. D. Wong, Mako e Danny Denzongpa. O argumento foi escrito por Becky Johnson, adaptando o romance auto-biográfico de Heinrich Harrer. A fotografia foi da autoria de Robert Fraisse e a música foi composta por John Williams.
O filme centra-se na figura do austríaco que se tornou amigo e tutor do jovem Dalai Lama durante o período em que viveu no Tibete. Em 1939, Heinrich Harrer (Brad Pitt), um ariano montanhista simpatizante do Partido Nazi, é convidado para integrar uma expedição alemã ao topo do Nanga Parbat, um dos montes mais altos dos Himalaias. Harrer aceita, deixando para trás a mulher e um filho. O cume acaba por não ser atingido, já que o líder da expedição, Peter Aufschnaiter (David Thewlis), decide parar para fugir a uma avalanche. Quando os montanhistas regressam ao acampamento, são presos por soldados britânicos e colocados num campo de prisioneiros. Depois de numerosas tentativas de fuga, Harrer e Aufschnaiter conseguem escapar e atingem o Tibete a partir das montanhas indianas. Após algumas dificuldades, os dois homens conseguem entrar em Lassa, a cidade santa e capital do país, sendo recebidos como peregrinos acabados de realizar um grande feito. Fazem amizade com os tibetanos e Harrer acaba mesmo por conhecer o seu líder espiritual de 11 anos. Rapidamente, Harrer começa a passar cada vez mais tempo com o Dalai Lama (Jamyang Wangchuk), tornando-se seu tutor. Durante algum tempo, ensina-lhe tudo o que sabe sobre o mundo ocidental, a sua cultura, a língua inglesa, etc. No final, o filme alarga os seus horizontes, mostrando o brutal domínio que a China exerceu sobre o Tibete durante os anos 50.
Com belíssimos cenários naturais, magnificamente fotografados, este é um filme que se debruça de uma forma superficial sobre os temas religiosos e mesmo históricos, centrando-se mais na personagem central e no seu crescimento interior, da frieza e arrogância inicial até ao humanismo e bondade no final da jornada. É, pois, um filme que atinge mais o espectador quando revela a intimidade da relação entre Harrer e o Dalai Lama do que quando mostra o quadro geral da aventura pelos Himalaias. Foi nomeado para o Globo de Ouro de Melhor Banda Sonora.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Sete Anos no Tibete na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-05 04:10:21]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros