Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

sistema linfático

O sistema linfático está intimamente relacionado com o sistema cardiovascular. Desempenha papel de relevo nos mecanismos de defesa do corpo humano, ao filtrar os organismos patogénicos, ao produzir glóbulos brancos e ao produzir anticorpos. É também fundamental na distribuição de fluidos e de nutrientes por todo o organismo, pois compete-lhe drenar os fluidos e proteínas em excesso (deixados pela circulação capilar), para evitar uma retenção - edema - ao nível dos tecidos.
O fluido que circula neste sistema denomina-se linfa. Deriva do plasma sanguíneo mas é mais líquida e transparente, atravessando as paredes dos capilares para preencher os espaços tecidulares.
Além da linfa, o sistema inclui também os capilares linfáticos e vasos mais largos, nódulos ou gânglios linfáticos, o baço, as amígdalas e o timo.
O sistema linfático produz anticorpos
Os capilares linfáticos são vasos de circulação unidirecional, sobreponível à circulação venosa, espalhados por todo o corpo. A sua missão é recolher os fluidos em excesso e transportá-los a dois vasos terminais, o canal torácico - tronco principal do sistema linfático que corre ao longo da coluna vertebral e desemboca numa grande veia à esquerda, junto ao coração -, e o canal linfático direito, que desemboca numa veia do lado direito. Contrariamente ao sangue, que é impulsionado pelo bombear do coração, a linfa move-se sem auxílio de qualquer bomba. O seu movimento resulta da pressão contínua que se gera à medida que o novo fluido dos tecidos é drenado para os espaços intercelulares, empurrando o fluido que aí se alojava. A contração e expansão das artérias e músculos vizinhos também exercem uma pressão que impulsiona a linfa, assim como a respiração, que cria um vácuo parcial no canal torácico, o que obriga tanto o sangue venoso como a linfa a subirem.
Os gânglios ou nódulos linfáticos são minúsculas estruturas ovais, semelhantes a cápsulas, que se encontram ao longo dos capilares. No interior de cada gânglio encontra-se uma série de válvulas fibrosas através das quais a linfa circula. Os gânglios atuam como barreiras contra a disseminação de infeções, filtrando e destruindo os microrganismos e as toxinas. Podem inchar por reação às infeções, tornando-se dolorosos, como acontece, por exemplo, com os ouvidos ou com a garganta.
O baço é a mais volumosa formação do sistema linfoide. Do tamanho aproximado do coração, localizado à esquerda e atrás do estômago, o baço é uma massa esponjosa capaz de armazenar um litro de sangue. Desempenha a mesma atividade filtrante que os gânglios e produz glóbulos brancos - linfócitos. Também recolhe os glóbulos vermelhos velhos, devolvendo ao sangue o ferro para ser reutilizado na produção de hemoglobina e na decomposição dos resíduos das moléculas a eliminar como detritos. Além disto, ainda armazena reservas de sangue, às quais o organismo recorre quando surge uma insuficiência.
Ao tumor maligno do sistema linfático dá-se o nome de linfoma. Um gânglio linfático, persistentemente intumescido e indolor, pode constituir um primeiro sinal de linfoma.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – sistema linfático na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-12 09:24:36]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros