Natal WOOK
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Sófocles

Trágico grego (496 ou 494 a. C.) nascido de pais abastados na bela povoação de Colono, nos arredores de Atenas.
Logo aos quinze anos foi encarregado de dirigir o coro que cantou o «pean» depois da vitória de Salamina.
Belo, inteligente e estimado de todos os seus concidadãos, foi nomeado em 440 a. C., juntamente com Péricles, estratego e encarregado da vigilância do tesouro da Acrópole.
Sófocles, poeta trágico grego
Pelo seu gosto artístico e pelo equilíbrio do seu carácter pode ser considerado o Ateniense ideal. Nunca abandonou a Ática, onde morreu com 80 anos sem nunca ter estado doente.
Compôs mais de cem peças de teatro, mas até nós chegaram apenas sete: Ájax, Electra, Édipo Rei, Édito em Colono, Antígona, Traquínias e Filoctetes.
Ésquilo havia lançado as bases do género trágico. Coube a Sófocles levá-lo à perfeição, para o que contribuíram algumas inovações: a introdução em cena de um terceiro ator; o abandono da ligação das peças em trilogias, constituindo cada peça um todo; a maior extensão do diálogo, encurtando as intervenções do coro que passou a ser mero eco dos sentimentos das personagens; os cenários pintados que sugeriam o ambiente pretendido, evitando os complicados e pesados mecanismos utilizados por Ésquilo.
Mas a grande inovação de Sófocles foi ter dado força à intriga. A construção das suas peças é mais sólida, com soluções variadas e mais bem encadeadas. Com Sófocles a tragédia desce à terra e o homem torna-se o protagonista do drama.
Não é que Sófocles seja menos religioso que Ésquilo, pois das suas peças desprende-se uma moral profundamente religiosa.
Sófocles dizia: «descrevo os homens como eles deveriam ser, ao passo que Eurípides os descreve como eles são».
Este idealismo, porém, não tira às suas personagens nem a força, nem a graça, nem o sentido da realidade.
O estilo de Sófocles adapta-se com facilidade aos sentimentos expressos pelas personagens, nos coros, e no diálogo é conciso, firme, mas solto - «o Poeta da harmonia amado das Musas e das Graças» como dizia a inscrição do monumento que os Atenienses lhe dedicaram.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Sófocles na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-12-02 03:59:38]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río