Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Suão

Romance regional que reflete a convicção de que o regionalismo é mais do que um tipo de literatura pitoresca, devendo duplamente respeitar "a riqueza humana da sensibilidade" do escritor e contribuir para "o desenvolvimento moral e material dos aglomerados rurais" (cf. Textos Teóricos do Neorrealismo Português, 1981, p. 168). Assim se impõe uma narrativa que recusa a objetividade e imparcialidade do narrador, sempre visível na "sinceridade com que ele se entrega às lutas da vida, o seu sentido de dignidade e de justiça, a força humana que dele emana e tem raízes fundas na terra", introduzindo-se no ponto de vista das personagens e intervindo em "judiciosas considerações e comentários sobre os homens e as situações" (cf. prefácio de José Tengarrinha, à 6.a edição de Suão, Lisboa, 1982). Evocando conflitos e contradições humanas de figuras rurais inscritas no espaço alentejano, os rendeiros e seareiros, a narração, reconstituindo a clivagem entre os grupos exploradores e as camadas exploradas, compõe um hino de amor à terra alentejana e ao drama das suas gentes.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Suão na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-15 02:16:10]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais