Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Toni

Antigo futebolista internacional e treinador, António José Conceição Oliveira (Toni) nasceu a 14 de outubro de 1946, em Mogofores.
Toni começou por jogar nos infantis do Instituto Salesiano, passando depois para o Anadia, onde foi descoberto por Mário Wilson que aos 17 anos o levou para a Académica de Coimbra. No clube dos estudantes continuou a dar nas vistas como centro-campista e em junho de 1968 foi contratado pelo Benfica. Logo na primeira temporada na Luz sagrou-se campeão nacional, feito que alcançou por mais sete vezes até 1981. Durante esse período venceu também a Taça de Portugal em cinco ocasiões.
Toni, que entretanto se tornou capitão do Benfica, representou por 33 vezes a seleção nacional.
Aos 34 anos, em maio de 1981, abandonou a atividade de futebolista e logo na época seguinte lançou-se na carreira de treinador. Foi adjunto durante seis anos, tendo começado por trabalhar com o sueco Sven-Goran Eriksson. Venceu o campeonato em 1982/83, época em que também chegou à final da Taça UEFA, importante competição europeia de clubes. Na época seguinte, voltou a triunfar no campeonato e também integrou, em 1984, a equipa técnica que orientou a seleção portuguesa no Europeu de França. Toni esteve como adjunto na Luz até 1987. Saiu no verão desse ano mas voltou em dezembro como treinador principal, ainda a tempo de levar a equipa à final da Taça dos Campeões Europeus. Na temporada seguinte, sagrou-se campeão nacional, o que não impediu que em 1989/90 voltasse ao cargo de adjunto de Eriksson no Benfica. Acompanhou nessas funções o técnico sueco durante três anos, até voltar a treinador principal em outubro de 1992, tendo conquistado a Taça de Portugal. Na época seguinte (1993/94), venceu de novo o campeonato. Mesmo assim foi dispensado do clube da Luz, optando por prosseguir a carreira na I Liga francesa, no Bordéus, onde não foi bem sucedido e acabou dispensado. Passou-se o mesmo na temporada seguinte em Espanha, onde dirigiu o Sevilha.
Em 1998 e 1999 foi adjunto de Carlos Queiroz no comando da seleção dos Emirados Árabes Unidos.
Na 21.ª jornada da temporada 2000/2001 regressou ao Benfica para substituir José Mourinho, mas na época seguinte voltou a ser despedido.
Em 2002 teve uma experiência como treinador num modesto clube chinês, seguindo-se outra no Egito.
Posteriormente, Toni apareceu esporadicamente como comentador de futebol na televisão.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Toni na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-09-24 17:37:06]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais