Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Triunfo do inverno (e do verão)

Representada ao rei D. João III, em Lisboa, aquando do nascimento da Infanta Isabel.
Personagens: Na primeira parte: inverno, Brisco, Juan Guijarro, Velha, Grumete, Marinheiro, Piloto, Gregório, Afonso, Gonçalo e três Sereias.
Na segunda parte: verão, Serra de Sintra, Forneira, Ferreiro e Infante.
Argumento: Representa-se uma festa que comemora o final do inverno e o início do verão (designação dada também à primavera naquele tempo), o ciclo da Natureza a que o Homem se deve submeter.
Na primeira parte, o inverno é encarnado por um pastor rude e poderoso, a quem toda a Natureza se submete. Durante uma conversa com outros pastores surge uma velha, que, por amor a um rapaz, teria de atravessar a montanha descalça. Segue-se uma fase de transição da infelicidade (inverno) para a felicidade (verão). O verão (primavera) transforma-se em estio (verão como o conhecemos), uma estação de calor e febres, que provoca as queixas de um Ferreiro e de uma Forneira.
A peça termina com conjunto de rapazes e de raparigas que chegam num carro onde é transportado um jardim destinado ao rei.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Triunfo do inverno (e do verão) na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-15 02:55:05]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais