Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Valentim Loureiro

Militar, político e dirigente desportista português, Valentim Loureiro nasceu a 25 de dezembro de 1938, em Calde, no distrito de Viseu, no seio de uma família de camponeses.
Valentim Loureiro fez o curso superior de Administração Militar da Academia Militar e ingressou no Exército português, onde passou a oficial. Abandonou o Exército em 1967 e, no ano seguinte, com apenas 30 anos, passou a integrar a direção do Boavista Futebol Clube, do Porto.
Em 1978, chegou a presidente do clube, cargo no qual se manteve até 1984. Nessa altura, por causa de alguns problemas internos, decidiu demitir-se da presidência mas, três anos depois, foi reeleito.
Valentim Loureiro
Valentim Loureiro foi o responsável pelo lançamento do Boavista no panorama do futebol nacional, sendo de destacar, durante o período em que comandou o clube axadrezado, a conquista de duas Taças de Portugal, uma em 1979 e outra em 1992, anos em que a equipa também venceu a supertaça Cândido de Oliveira. Em 1996, foi substituído na presidência do clube pelo filho João Loureiro. Devido à dedicação patenteada ao serviço do clube, passou a ser considerado presidente honorário do Boavista. Dedicou-se, em termos de futebol, em exclusivo à presidência da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, cargo que considerou incompatível com a liderança do Boavista.
Entretanto, em 1982, Valentim Loureiro tinha-se tornado cônsul da Guiné-Bissau em Portugal, situação que perdurou até à deposição do presidente Nino Vieira, em 1999, estadista com quem mantinha fortes ligações pessoais e a quem ajudou quando este viajou para Portugal.
Paralelamente, Valentim Loureiro mostrou-se muito ativo na vida política, sendo filiado no Partido Popular Democrático, que depois se transformou em Partido Social Democrata. Foi um apoiante de Francisco Sá Carneiro, mas a sua filiação aos sociais-democratas, não o impediu de também apoiar o socialista na corrida eleitoral pela presidência da república. Mário Soares, enquanto presidente, viria a sagrar o major como Comendador da ordem de Mérito.
Em 1993, venceu as eleições para a presidência da Câmara de Gondomar, até então nas mãos dos socialistas, feito que repetiu nas eleições seguintes. Juntamente com o cargo camarário, o major Valentim Loureiro acumulava também os cargos de presidente da empresa Metro do Porto e de presidente da Junta Metropolitana do Porto que é o órgão executivo da Área Metropolitana do Porto (AMP), até 2004.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Valentim Loureiro na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-01 12:15:27]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais