Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Venceslau de Lima

Cientista, professor e político português, Venceslau de Sousa Pereira Lima natural do Porto, onde nasceu em 1858, veio a falecer em 1919, em Paris.
Iniciou os seus estudos universitários no estrangeiro, mas veio a licenciar-se em Coimbra, com uma tese de licenciatura subordinada ao tema Carvões Naturais, que provocou grande brado na academia do Mondego. Aí se viria a doutorar na área das Ciências Naturais, em 1882. Foi professor, posteriormente, na Academia Politécnica do Porto, começando a lecionar Mineralogia, e onde foi regente, ao longo de trinta anos, da cadeira de Geologia. No concurso de admissão ao referido instituto portuense apresentou um trabalho intitulado A Função Clorofilina. Foi autor de diversos trabalhos notáveis na área da paleontologia vegetal, sendo o pioneiro em Portugal dos estudos paleobotânicos. Nesta linha de investigação, escreveu Notícia sobre as Camadas da Série Permo-Carbónica do Buçaco, o Dicranophyllum (sobre uma nova espécie de Eurypterus) e uma memória sobre O Sábio Oswaldo Heer e a Flora Fóssil Portuguesa, títulos que o guindaram à galeria dos mais célebres e brilhantes cientistas e intelectuais do seu tempo. Como reconhecimento pelo seu valor como pedagogo e investigador na área das Ciências Naturais, foi também diretor dos Serviços Geológicos nacionais em 1908. Foi também incumbido por sucessivos governos, durante muitos anos, de dirigir o estudo da flora fóssil nacional.
No campo da política, que conciliou com a científica, foi governador civil dos distritos de Vila Real, Coimbra e Porto, para além de deputado pelos círculos do Norte de Portugal e Par do Reino, em 1901, pelo seu partido, o Regenerador. Várias vezes ministro dos Negócios Estrangeiros (a primeira em 1903, o governo de Hintze Ribeiro), foi presidente do Conselho de Ministros no atribulado ano de 1909, cargo que acumulou com o de ministro do Reino. Desempenhou também o cargo de presidente da Câmara Municipal do Porto. Na pasta dos Estrangeiros, foi Venceslau de Lima que preparou o tratado de arbitragem com a Inglaterra. Como político, demonstrou ser aguerrido e um feroz opositor, como no caso da ditadura de João Franco.
Sem nunca esquecer a sua vida científica e o devido apoio à investigação e suas instituições, esforçou-se por reformar a Academia Politécnica do Porto. Já em 1886 era vogal do Conselho Superior de Instrução Pública, de que foi relator da sua reforma, levada a cabo pelo ministro Barjona de Freitas.
Figura pública prestigiada, foi diretor da Escola Médico-Cirúrgica do Porto e provedor da Santa Casa da Misericórdia da mesma cidade. Era também um reputado viticultor, tendo sido o presidente da Comissão Anti-filoxérica do Norte. Agraciado com inúmeras condecorações nacionais e estrangeiras, pertenceu à Academia das Ciências de Lisboa.
Não somente um notável cientista, Venceslau de Lima distinguiu-se como um grande orador, de clareza e verbo fluentes, um homem de grande cultura, era dotado de notável lucidez política e espírito pragmático, bem como de uma proverbial simpatia. Respeitado e admirado, manteve a sua firme defesa da Monarquia, mesmo com o advento da República, em 1910, facto que o conduziu ao exílio em França, onde viria a falecer.
Várias são as obras deste político brilhante e cientista notável, destacando-se os seus trabalhos sobre flora antiga e geologia, atrás já referidos.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Venceslau de Lima na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-18 21:38:31]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais