Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Vésperas. Poesias Dispersas

Coletânea de poesias dedicada a Camilo Castelo Branco. No poema inicial, que dá o título à antologia, Tomás Ribeiro propõe-se apresentar os seus cantares de outono e anuncia os principais travejamentos temáticos que os percorrem: "Vamos reler baixinho os vespertinos cânticos, / onde há de novo, só - de novo ou de obsoleto, - / que a pátria canto e o amor, e que ainda creio em Deus." De facto, as composições percorrem as várias diretrizes da poética de Tomás Ribeiro, da temática amorosa ("Luísa", "Angélica", "Rosa de Musgo") à inspiração religiosa ("Ao pôr do sol", "Hosanna, filli David"), passando pela exaltação patriótica ("O primeiro de dezembro") e pelos incontornáveis motivos sociais e filantrópicos ("Na casa de correção", "A Velha"). De ressaltar ainda as várias traduções e imitações de poesias orientais, resultantes da sua passagem pela Índia ("Canções da Índia", "Dippu. Conto oriental", "Carteira de viagem").
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Vésperas. Poesias Dispersas na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 11:10:01]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros