Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Viagem de um Pai e de um Filho pelas Ruas da Amargura

Da autoria de Batista-Bastos e editado em 1981, foi considerado por alguns críticos literários como um dos romances portugueses mais originais e fascinantes dos últimos anos.
Numa escrita muito próxima da prosa de Raul Brandão, o romance procede à dissolução das categorias de espaço, tempo, intriga e personagens, pondo em relevo as potencialidades significantes e poéticas da frase. Operando uma constante interseção entre o onírico, a visão expressionista do mundo e, subliminarmente, a perspetiva histórica que inscreve este romance numa consciência da falência coletiva ("No fundo, não fui só eu que falhei: falhámos os dois. Todos. Também quis saber o que havia do outro lado do arco-íris, e abril foi para mim o regresso ao tempo em que as raparigas comiam rosas. Mas esquecera-me, ou recusava aceitar, que iam acontecendo outras coisas, que as coisas se transformavam, mudavam e alteravam sem eu estar no seu eixo, sem entender o pulsar do seu coração", p. 124), descreve a viagem no tempo da memória e num espaço entre quotidiano e fantástico que o Filho efetua até reencontrar o Pai (o Velho), numa experiência dolorosa pela qual o reconhecimento do outro se transforma em "autorretrato": "Tornado irreal, quer pelo mundo de fantasia em que é apresentado quer pelo estatuto narrativo em que é colocado, o Velho projeta-se especularmente no sujeito, que assim figura o seu duplo e com quem pode dialogar sobre o tempo que passa inexorável: ou a quem pode livremente acusar de faltas que o eu se nega assumir; ou de quem pode obter juízos que vão acentuando a obsessão pelos quarenta anos já vividos [...] até chegar ao derradeiro autorretrato total que contempla quer a exterioridade física [...] quer a interioridade emocional e afetiva [...]." (MARTINS, Manuel Frias - Sombras e Transparências da Literatura, Lisboa, 1983, p. 176).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Viagem de um Pai e de um Filho pelas Ruas da Amargura na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-09-30 18:10:05]. Disponível em
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Viagem de um Pai e de um Filho pelas Ruas da Amargura na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-09-30 18:10:05]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais