Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

William Boyd

Escritor britânico, William Boyd nasceu a 7 de março de 1952, em Acra, a capital do Gana. Filho de um médico e de uma professora, acompanhou a família na sua mudança para a Nigéria, ocorrida em virtude da proclamação da independência do Gana, em 1957.
Quando contava apenas nove anos de idade, William Boyd foi enviado para a Escócia para estudar na The Gordonstoun School, instituição de ensino que o Princípe de Gales frequentou por essa altura.
Terminando os seus estudos secundários, ingressou na Universidade de Glasgow, de onde se diplomou em Estudos Ingleses. Transitou em 1975 para o Jesus College da Universidade de Oxford, onde apresentou uma tese de doutoramento consagrada à poesia de Percy Shelley.
Começou em 1981 a desempenhar as funções de crítico de televisão para o The New Statesman passando, ao fim de algum tempo, a lecionar no departamento de Inglês do St. Hilda's College de Oxford.
Após ter concluído dois romances que não publicou, Is That All There Is? e Against The Day, Boyd completou, em apenas três meses e enquanto professor, A Good Man In Africa (1981), obra bem humorada que contava a história de um diplomata alcoólico vivendo em África e que cede às chantagens de um político local. O romance surpreendeu a crítica e valeu a Boyd os prémios literários Whitbread e Somerset Maugham. Nesse mesmo ano apareceu também uma coletânea de contos com o título On The Yankee Station and Other Stories (1981).
Em 1982 publicou An Ice-Cream War, romance muitíssimo bem acolhido pela crítica e pelo público em geral, e que não só foi nomeado para o Prémio Booker, como venceu o Prémio John Lllewellyn Rhys. Seguiram-se Stars And Bars (1984), School Ties (1985) e The New Confessions (1987, As Novas Confissões). Em 1983 foi eleito membro da Real Sociedade da Literatura, altura em que cessou a sua colaboração com a revista The New Statesman.
Em 1990 tornou a ser galardoado com vários prémios literários pela publicação de Brazzaville Beach (1990), repetindo a proeza três anos depois, em consequência da publicação de The Blue Afternoon (1993, Tarde Azul). Após a publicação de Nat Tate: An American Artist 1928-1960 (1998), Boyd conseguiu enganar grande número de críticos de arte, já que a obra apresentava a biografia fictícia de um pintor norte-americano, que estes tomaram por verdadeira. No ano de 2002 surgiu Any Human Heart (2002), romance que conta a história do século XX através dos diários imaginários de um escritor, Logan Mountstuart.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – William Boyd na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-29 08:38:58]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais