Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

XML

O XML (eXtensible Markup Language) é uma linguagem mais poderosa e flexível do que a linguagem de formatação que lhe deu origem, normalmente utilizada para construir páginas Web - o HTML ((Hypertext Markup Language). O HTML foi criado em 1991 e permitiu a explosão da Internet e da Web. Foi esta linguagem que tornou possível aos browsers (navegadores) dar-nos acesso à WWW. Mas as exigências cada vez maiores e o aumento constante das funcionalidades da Internet e da WWW tornaram o HTML insuficiente para dar resposta a todas as solicitações.
O XML é o padrão criado pelo W3C (World Wide Consortium), entidade internacional que faz a promoção de novos "padrões" na World Wide Web (WWW), com o objetivo de superar as insuficiências do HTML, nomeadamente no que diz respeito ao comércio eletrónico (e-commerce).
Este padrão é uma metalinguagem - linguagem que descreve outras linguagens. O XML permite às várias aplicações de software interpretarem o significado das palavras bem como o contexto em que se enquadram. Deste modo, os documentos formatados em XML podem ser processados por diferentes aplicações informáticas e correr em diversos sistemas operativos. Tal como o HTML, o XML recorre à utilização de tags (etiquetas), só que estas em vez de serem predefinidas, como as do HTML, podem ser definidas pelos criadores de páginas Web. Para além de tags, esta metalinguagem recorre também a stylesheets (folhas de estilo) que fazem uma descrição do aspeto que o documento deve apresentar, tornando possível a publicação do mesmo documento XML em vários formatos, bastando para isso definir diversas folhas de estilo.
A eXtensible Markup Language tem como base o SGML (Standard Generalized Markup Language), mantendo as funcionalidades que lhe podem ser úteis na criação de conteúdos Web mas removendo as opções que tornam o SGML muito complexo para este ambiente.
O XML apresenta inúmeras vantagens que o transformam numa ferramenta poderosíssima na WWW. Esta ferramenta torna possível a independência de dados e aplicações e como é extensível podem ser-lhe acrescentados novos tags conforme for necessário.
Assim, o XML apresenta para os criadores de páginas Web uma mais-valia real, fornecendo-lhes um meio de definirem as suas próprias linguagens de markup (linguagens que utilizam os princípios básicos do HTML) de acordo com as suas necessidades. O padrão XML também pode ser utilizado no intercâmbio de documentos entre empresas no âmbito do e-commerce.
Em termos de análise e extração da informação contida neste tipo de documentos, estas são feitas com exatidão, funcionando da mesma maneira em todas as plataformas.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – XML na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-07 08:32:24]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais