Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Yasser Arafat

Líder palestiniano, de nome completo Mohammad Abdel Rauf Arafat al-Qudwa al-Husseini, nascido em 1929, em Jerusalém, começou cedo a atividade política a favor do seu povo, que se via sem território próprio onde localizar uma pátria. Destacou-se sobretudo pelos cargos de presidente da Organização de Libertação da Palestina (OLP), que assumiu em 1968, e presidente da Autoridade Palestiniana autónoma (com sede em Jerusalém), que governa os territórios de Jericó e da Faixa de Gaza.
Foi, de 1952 a 1956, presidente da União dos Estudantes da Palestina, tendo-se licenciado, ainda em 1956, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Cairo. Em 1959 fundou o movimento Al-Fatah, que se tornou o braço armado da OLP, organização que, em 1974, foi reconhecida como representante do povo palestiniano. Realizou diversas viagens, contactando líderes de diversos países em busca de apoios políticos para a sua causa, e foi também convidado a discursar na Assembleia Geral da ONU, facto que ficou registado na história política palestiniana.
Arafat imprimiu à luta do povo palestiniano um cunho próprio, que valorizava o empenho diplomático e os esforços de conciliação. Em 1988 proclamou a independência do Estado da Palestina. Reconheceu, em 1993, a existência do Estado de Israel, o grande adversário nesta senda, e, no ano seguinte, assinou o acordo de paz que concedia autonomia aos territórios ocupados pelos judeus. Este acontecimento chamou a atenção do Comité Nobel, que decidiu laurear Arafat, juntamente com os líderes israelitas Yitzhak Rabin e Shimon Perez, com o Prémio Nobel da Paz (1994) - Arafat visitaria Israel, pela primeira vez, logo no ano seguinte, aquando da morte de Yitzhak Rabin. Apesar dos esforços, as contendas entre palestinianos e israelitas não pararam devido a ataques de grupos extremistas, que causaram inúmeros problemas à tentativa de manutenção da paz.
Figura em cera de Yasser Arafat, exposta no Museu Madame Tussaud, em Londres
O acordo de paz entre os dois territórios passou por várias dificuldades durante o mandato de Benjamin Netanyahu (1996-1999), substituto do primeiro-ministro Yitzhak Rabin.
Em maio de 1999, Ehud Barak foi eleito chefe do governo israelita. Várias tentativas foram levadas a cabo pelos dois líderes para que o acordo de paz fosse cumprido (encontros de Camp David, em 2000, nos EUA), mas fracassaram, e os atos de violência intensificaram-se. O ataque terrorista de 11 de setembro de 2001 aos EUA agravou ainda mais a situação. Mais tarde, os acordos diplomáticos entre Ehud Barak e Yasser Arafat foram quebrados e ataques israelitas à Palestina proporcionaram o cerco à sede de Yasser Arafat em Ramallah, tornando-o prisioneiro domiciliário, em 2002. O líder palestiniano vivia um período de isolamento diplomático e resolveu anunciar eleições governamentais em 2004, mas o parlamento não lhe deu o voto de confiança necessário e o seu gabinete demitiu-se.
Em março de 2003 cedeu à pressão internacional e nomeou um primeiro-ministro, Mahmoud Abbas (líder parlamentar da Autoridade Palestiniana), que ficaria encarregado da política local, relacionada com os territórios palestinianos. Yasser Arafat continuaria com a política internacional e com o poder de demitir ou eleger o primeiro-ministro.
Em finais de outubro de 2004, sofreu um colapso que o pôs entre a vida e a morte, tendo sido assistido por uma forte equipa médica. O estado de saúde de Arafat inspirava cuidados e as autoridades israelitas levantaram o cerco a Ramallah, permitindo, assim, a hospitalização do líder palestiniano em Paris. Acabou por falecer na madrugada de 11 de novembro do mesmo ano.
Foi substituido, nas eleições de 9 de janeiro de 2005, por Mahmoud Abbas na presidência da Autoridade Palestiniana.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Yasser Arafat na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-07 09:37:37]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros