MOMENTOS WOOK - 20% de desconto em todos os livros

Morro da Pena Ventosa

Rui Couceiro

Pedra e Sombra

Burhan Sönmez

Geração D

Carlos de Matos Gomes

< 1 min

Nuno Melo
favoritos

Político português, João Nuno Lacerda Teixeira de Melo, nascido a 18 de março de 1966, destacou-se enquanto deputado do CDS/PP (Centro Democrático Social/Partido Popular), tendo chegado a vice-presidente da Assembleia da República em maio de 2007.
Nuno Melo, que é licenciado em Direito, tornou-se advogado de profissão, antes de se dedicar à carreira política.
Chegou a deputado da Assembleia da República na VIII Legislatura, que se iniciou em 1999, concorrendo pelas listas do CDS/PP em Braga. A partir de então, Nuno Melo foi consecutivamente eleito deputado ao parlamento. Na Assembleia da República integrou, nomeadamente, a Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias e a Subcomissão de Direitos Fundamentais e Comunicação Social.
Em julho de 2004, Nuno Melo foi escolhido para líder parlamentar do CDS/PP.
A 18 de janeiro de 2007, demitiu-se da liderança do grupo parlamentar do CDS/PP, na sequência de diversos desentendimentos com a direção do partido, liderado por José Ribeiro e Castro.
Em maio de 2007, Nuno Melo foi eleito vice-presidente da Assembleia da República, em substituição do seu colega de partido, Telmo Correia, que havia sido escolhido para líder parlamentar do CDS/PP. Nesta altura, o partido já era de novo liderado por Paulo Portas.
Paralelamente às funções desempenhadas na Assembleia da República, Nuno Melo acumulou a presidência da Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão, a presidência da Distrital de Braga do CDS/PP, assim como integrou a Comissão Executiva e o Conselho Nacional do partido.
Nuno Melo recebeu um louvor do Regimento de Cavalaria III.
Partilhar
  • partilhar whatsapp
Como referenciar
Porto Editora – Nuno Melo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2024-07-19 22:41:35]. Disponível em

Morro da Pena Ventosa

Rui Couceiro

Pedra e Sombra

Burhan Sönmez

Geração D

Carlos de Matos Gomes