Morro da Pena Ventosa

Rui Couceiro

Pedra e Sombra

Burhan Sönmez

Geração D

Carlos de Matos Gomes

1 min

Psique
favoritos

Psique era uma jovem grega de beleza rara, por quem Cupido se apaixonou. Para a conquistar, prometeu-lhe felicidade eterna, em palácio sumptuoso, mas pôs uma única condição: ela nunca procuraria ver o rosto do seu amado.

Psique, morta de curiosidade e mal aconselhada pelas irmãs, que estavam roídas de inveja, acendeu uma candeia para poder contemplar o esposo adormecido. Por infelicidade, deixou cair sobre ele uma gota de azeite quente. Cupido acordou e, sentindo-se traído, fugiu a toda a pressa e desapareceu. Desde então Psique teve de suportar uma série infindável de sofrimentos que Vénus lhe impôs pelo desaparecimento do filho.

Júpiter achou por bem intervir, e Vénus reconciliou-se com Psique, tornando-a imortal e ligando-a a Cupido para sempre. Psique representa-se em figura de jovem extremamente bela, com asas de borboleta nos ombros.

Na obra de Canova observa-se Psique a ser beijada por Eros
Pormenor de "Banho de Eros e Psique", Escola de Giulio Romano
Partilhar
  • partilhar whatsapp
Como referenciar
Porto Editora – Psique na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2024-07-25 04:40:01]. Disponível em

Morro da Pena Ventosa

Rui Couceiro

Pedra e Sombra

Burhan Sönmez

Geração D

Carlos de Matos Gomes