Geração D

Carlos de Matos Gomes

Amar em caso de emergência

Vera dos Reis Valente

Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe

1 min

Rogério Samora
favoritos

Ator português, nascido a 28 de outubro de 1958, morreu a 15 de dezembro de 2021.

Rogério Samora frequentou a Escola Superior de Teatro do Conservatório e deu os primeiros passos como ator na Casa da Comédia, onde, em 1981, fez parte do elenco da peça A Paixão Segundo Pier Paolo Pasolini. Trabalhou ainda com encenadores como Fernanda Lapa e Carlos Avilez, antes de se estrear como ator cinematográfico em O Bobo (1987).

O seu primeiro trabalho como protagonista foi Matar Saudades (1988) de Fernando Lopes, onde a sua prestação enquanto emigrante que regressa a Portugal motivou críticas favoráveis.

Trabalhou regularmente com Manoel de Oliveira, tendo participado em títulos como Os Canibais (1988), A Caixa (1994) e protagonizou Party (1996) à frente de um elenco que compreendia nomes como Michel Piccoli e Irene Papas. Foi, no entanto, a televisão que lhe permitiu um maior contacto com o grande público, não só pelas telenovelas que protagonizou, como A Banqueira do Povo (1993), A Grande Aposta (1997) e Ganância (2001), como também por séries como Ballet Rose (1998).

Em 2002, protagonizou O Delfim, filme de Fernando Lopes que obteve grande reconhecimento de público e crítica.

Nos anos seguintes, participou em Os Imortais (2003) de António Pedro Vasconcelos e voltou a ser dirigido por Fernando Lopes em Lá Fora (2004). Desde então, foi presença regular na televisão, participando em dezenas de produções para diferentes canais.

Partilhar
  • partilhar whatsapp
Como referenciar
Porto Editora – Rogério Samora na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2024-06-17 05:55:57]. Disponível em

Geração D

Carlos de Matos Gomes

Amar em caso de emergência

Vera dos Reis Valente

Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe