A Origem

Obra de Graça Pina de Morais publicada em 1958. A narrativa centra-se sobre os descendentes de Leonardo, todos sujeitos a "crises sobre-humanas de exaltação apaixonada", Moisés, Maria da Soledade, Maria Clara, Constança, e, depois, João, personagens que têm como eixos existenciais o amor e o ódio, a morte, Deus e o lugar. Privilegiando "tudo o que não tem mediata evidência. Coisas não quantificáveis, como o espírito da terra ou a respiração das casas ou os ajustes da morte [...]. Traumas de desgarre, como a fúria do sangue, as sentenças da alma, ou as marés vivas do corpo" (cf. MALDONADO, Fátima, posfácio a A Origem, Lisboa, Antígona, 1991), A Origem fornece, através de uma narrativa perturbadora, uma visão angustiada e íntima da existência, refletindo, como o romance dostoievskiano, sobre as dimensões tanto negativas e demoníacas como divinas do ser humano. Por isso, "consultar a origem, poderosa máquina de silêncio, não fornece esclarecimentos nem acrescenta clarificações. Apenas nos expõe à mira da alma contribuindo assim para que ela se nos torne ainda mais estranha". (id., ib.)
Como referenciar: A Origem in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-09 18:04:51]. Disponível na Internet: