A Senhora da Melancolia

Poema de Gomes Leal, datado de 1910, subintitulado "Avatares de um ateu", que assinala a conversão do poeta (pois, como o autor diz no prefácio, não é impossível que o descrente "um belo dia encontre a sua estrada real de Damasco, como Saulo", onde "a cegueira dos seus olhos se cure e dissipe enfim"). Desde a dedicatória inicial a Nossa Senhora, são referidos todos os seus epítetos que dão título às composições: "A Senhora Silenciosa", "A Senhora da Melancolia", "A Senhora das Lágrimas"...
Como referenciar: Porto Editora – A Senhora da Melancolia na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-28 14:37:36]. Disponível em