abordagem centrada na pessoa

Terapia que se baseia na premissa fundamental de que o indivíduo tem dentro de si próprio vastos recursos para a autocompreensão e para alterar os seus conceitos, atitudes e comportamentos. Estes recursos podem ser despoletados se existir um clima definido de atitudes que o facilitem. Parte do pressuposto que o ser humano possui capacidades para a mudança e para o desenvolvimento e crescimento num contexto favorável.
A terapia centrada na pessoa assenta na tendência atualizante, isto é, no motor do desenvolvimento saudável, da atualização de potencialidades que já existem, que precisam somente das condições necessárias para que isso aconteça. O ser humano tem um número de potencialidades que necessitam de condições de vária ordem, incluindo de qualidade relacional, para serem atualizadas. Caso isso não aconteça, a tendência é encontrar um equilíbrio "distorcido" para continuar a viver. O papel do terapeuta é ajudar o cliente na sua autocura para que atualize essas suas potencialidades.
A terapia centrada na pessoa é uma psicoterapia verbal e individual, um processo, em geral longo, em que um terapeuta mantém uma relação especial com um cliente que deseja superar as dificuldades na relação consigo mesmo e com os outros, que procura a compreensão de si mesmo e do seu modo de estar no mundo. Tem como objetivos um aumento da autonomia e liberdade; um aumento da autoestima e segurança; um aumento da capacidade para utilizar criativamente as suas potencialidades; um aumento do autoconhecimento e aceitação, e da comunicação consigo próprio e com os outros e uma diminuição considerável dos problemas (sintomas) que o levaram à terapia.
Existem três condições que constituem o ambiente perfeito para o crescimento do sujeito:
1.a Congruência: capacidade de o terapeuta estar de acordo consigo próprio. Ele está consciente de si próprio e dos sentimentos e afetos que sente pelo cliente. É coerente consigo mesmo no espaço e tempo da relação, no aqui e agora. Assim, maior é a probabilidade que o cliente tem de crescer e de mudar. A congruência aparece como a garantia, quer para o cliente, quer para o terapeuta, do espaço possível para se ser ele-mesmo.
2.a Aceitação: cuidado e estima - consideração incondicional para com o cliente.
3.a Compreensão empática: o terapeuta sente os sentimentos e significados pessoais que estão a ser vivenciados pelo cliente e comunica esta atitude de aceitação e entendimento do mesmo.
O terapeuta utiliza várias técnicas nesta terapia, nomeadamente a de fornecer as condições necessárias para que o cliente encontre o seu próprio caminho; uma aceitação do cliente e do seu discurso, sem juízos de valor, permitindo-lhe criar e dirigir a sua própria experiência na resolução ou não resolução dos seus conflitos e uma atitude não diretiva, onde exista uma confiança total na capacidade do cliente em encontrar as suas próprias soluções. O outro é que tem o máximo de informação possível para se ajudar, pode é não ter liberdade para fazer as escolhas ou não se encontrar no seu melhor momento para o fazer. O cliente tem em si as respostas, mesmo que no momento não tenha acesso a elas.
Como referenciar: abordagem centrada na pessoa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-19 19:40:52]. Disponível na Internet: