AC Milan

O clube italiano de futebol Associazione Calcio Milan, mais conhecido por AC Milan, foi fundado a 16 de dezembro de 1899 por um grupo de ingleses. Entre eles destacava-se Alfred Edwards, o primeiro presidente do clube, e Herbert Kilpin, que foi fundamental na conquista dos três primeiros títulos nacionais do AC Milan, em 1901, 1906 e 1907. Após a morte de Kilpin, o AC Milan atravessou um grande período sem títulos que só terminou em 1950. Mas, entretanto, por iniciativa do presidente Piero Pirelli, que liderou o clube entre 1908 e 1929, foi construído o grande estádio de San Siro.
Em 1949 foram contratados três jogadores suecos, Gren, Nordhal e Liedholm, que formaram o trio chamado de Gre-No-Li. Com eles foi ganho o campeonato italiano de 1951, assim como a Taça Latina. Ainda nessa década, o clube milanês conquistou mais três títulos, contando também com o contributo do uruguaio Schiaffino e de Cesare Maldini.
A década de 60 foi marcada pela conquista de mais dois campeonatos, mas principalmente de duas Taças dos Campeões Europeus. A primeira foi conquistada em 1963, após um triunfo por 2-1 na final frente ao Benfica, e a seguinte em 1969, contra o Ajax de Cruyff. Na altura, destacava-se o avançado italiano Gianni Rivera, que esteve 19 épocas no AC Milan e participou em 501 jogos, marcando 124 golos.
Nos anos 70, o clube milanês entrou num período de crise de resultados desportivos, só atenuado com a vitória na Taça das Taças de 1972/73 e no campeonato italiano de 1978/1979.
Entretanto, deu-se o envolvimento num escândalo de apostas que levou o AC Milan a descer à II Divisão italiana por decisão administrativa.
O AC Milan renasceu desportivamente em 1988, depois do milionário Sílvio Berlusconi ter tomado conta do clube, dois anos antes, para o salvar da falência. Até 1994 o clube ganhou por quatro vezes o campeonato (87/88, 91/92, 92/93 e 93/94) e conquistou três taças dos Campeões Europeus: 1988/89, 1989/90 (derrotou o Benfica por 1-0) e 1993/1994. O treinador Arrigo Sacchi contava com os craques holandeses Ruud Gullit, Frank Rijkaard e Marco Van Basten, assim como com Paolo Maldini (filho de Cesare Maldini) e Baresi. Porém, em 1991 Sacchi foi substituído por Fábio Capello, que comandou a equipa até 1994. O seu último jogo foi a final da Liga dos Campeões, em que o AC Milan bateu o Barcelona, de Espanha, por 4-0. Nos dez anos que se seguiram, o AC Milan venceu dois Scudetto (designação do troféu referente ao campeonato de Itália), em 1995/96 e 1998/99. A época de 2002/2003, já com Carlo Ancelloti como treinador, revelou-se como uma temporada de glória para o clube ao vencer a Taça de Itália e a Liga do Campeões (derrotou a rival Juventus no desempate por grandes penalidades). Nesta equipa, destacam-se valores como Paolo Maldini, Andriy Schevchenko e o português Rui Costa e a mais sonante contratação para 2004, o brasileiro Káká.
Em 2006 rebentou um escândalo de corrupção no campeonato italiano, conhecido em Itália por "Calciocaos". Envolvia quatro clubes, o AC Milan, o Juventus, o Fiorentina e o Lazio. Em julho, após o julgamento, foi aplicado o castigo aos clubes envolvidos, os três últimos referidos desceram para a II Divisão e o AC Milan continuou na I Divisão mas sofreu uma penalização em pontos para o campeonato italiano.
Em 2007, o AC Milan venceu a final da Liga dos Campeões de Futebol frente ao Liverpool, num jogo realizado em Atenas, na Grécia, sagrando-se campeão europeu.
Como referenciar: Porto Editora – AC Milan na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-04 11:39:14]. Disponível em