Adriano Cerqueira

Jornalista português nascido a 17 de outubro de 1938, em Braga, e falecido a 3 de fevereiro de 2005, em Lisboa, cidade onde estudou Direito. Entrou na Radiotelevisão Portuguesa, com 22 anos, como assistente de redação. Três anos depois, em 1963, foi promovido a redator, função que manteve durante catorze anos. Um dos seus principais trabalhos como redator aconteceu em abril de 1972 quando foi um dos enviados especiais da RTP ao Brasil para a primeira transmissão direta via satélite entre os dois países, aquando de uma visita do presidente português, Américo Thomaz, ao Rio de Janeiro.
Em 1977, Adriano Cerqueira foi promovido a chefe de redação na RTP para no ano seguinte passar a ser o responsável dos programas diários internacionais.
Em 1979, foi um dos apresentadores mais frequentes do "Telejornal", o principal noticiário da RTP. A partir da década de 80, apesar de ter chegado a diretor de programas da RTP, Adriano Cerqueira passou a dedicar-se quase em exclusivo ao setor automóvel, tendo feito a cobertura de diversos acontecimentos desportivos, nomeadamente corridas de Fórmula 1.
O jornalista dividiu-se entre a televisão (pioneiro da RTP), a rádio (locutor da Emissora Nacional) e a imprensa, já que para além de apresentador de programas sobre automóveis, nas áreas do desporto e da indústria, foi diretor do jornal O Volante, da revista Auto Mundo, do jornal O Benfica (do clube Sport Lisboa e Benfica de que era sócio), de 2001 até falecer. Foi também, juntamente com José Eduardo Moniz, um dos fundadores dos jornais 24 horas, A Primeira Página e O Jornal de Sábado.
Chegou ainda a membro do júri do evento Carro do Ano Internacional e foi um dos elementos principais da Publisalão, entidade que organizou diversas edições do Salão Automóvel do Porto.
Como referenciar: Adriano Cerqueira in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-22 03:27:31]. Disponível na Internet: