Aeroporto da Portela

O Aeroporto da Portela, em Lisboa, foi inaugurado a 15 de outubro de 1942 e é o maior aeroporto português e um dos maiores do sul da Europa, estando dotado de duas pistas, uma de 3805 metros e outra de 2400 metros.

O Aeroporto da Portela serve de base às duas principais companhias aéreas portuguesas, a TAP e a Portugália.
Nos anos 30 do século XX, o governo português optou por construir um aeroporto em Lisboa por pretender fazer da capital portuguesa uma plataforma para os voos transatlânticos, assim como para apoiar a realização da Grande Exposição do Mundo Português prevista para 1940, mas entretanto cancelada devido à eclosão da Segunda Guerra Mundial.

As obras começaram em 1938, juntamente com as do Aeroporto de Cabo Ruivo, junto ao rio Tejo, este destinado a hidroaviões. Os voos transatlânticos funcionavam com hidroaviões e, assim, os passageiros, depois de amararem em Cabo Ruivo, seguiam de carro para a Portela, onde embarcavam em aviões para outros destinos europeus.

Assim, a 15 de outubro de 1942, o aeroporto foi inaugurado, dispondo na altura de quatro pistas com cerca de mil metros cada.

Durante a Segunda Guerra Mundial, devido à neutralidade de Portugal, o Aeroporto da Portela serviu de ponto de passagem a voos ingleses e alemães, levando a que estivesse sobre permanente vigilância de espiões das forças em contenda.

Com o passar dos anos, o Aeroporto da Portela foi conhecendo um grande crescimento, mas o facto de ficar localizado dentro dos limites da cidade de Lisboa, rodeado de edifícios, impede o necessário alargamento das instalações.

A 1 de agosto de 2007 foi inaugurado um novo terminal, inicialmente destinado apenas a servir partidas dos voos domésticos.


Como referenciar: Aeroporto da Portela in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-03-30 12:08:17]. Disponível na Internet: