Affonso Romano de Sant'Anna

Poeta brasileiro nascido a 27 de março de 1937, em Belo Horizonte, Minas Gerais, filho de pais protestantes que o educaram para ser pastor. Chegou a pregar o evangelho, na sua adolescência, em várias cidades. Nos anos 50, estudou na Faculdade de Letras de Belo Horizonte, de onde saiu bacharel. Na década seguinte, fez parte de movimentos de vanguarda, que marcaram posição na poesia brasileira da época. Em 1962 publica a sua primeira obra, o ensaio O Desemprego da Poesia, na qual acusa os poetas de então de falta de vigor, em comparação com os do século XIX. Ainda nos anos 60, foi viver temporariamente para os Estados Unidos da América (EUA), onde lecionou Literatura Brasileira na Universidade da Califórnia. Em 1965 publicou o seu primeiro livro de poesias, intitulado Canto e Palavra.
Professor em várias universidades brasileiras e estrangeiras, publicou a sua tese de doutoramento em 1972, que teve como tema Carlos Drummond de Andrade, poeta que admira e que vai substituir como cronista no Jornal do Brasil em 1984.
Nos anos 90, foi presidente da Biblioteca Nacional - fez melhorias notórias neste estabelecimento (que mereceram o reconhecimento da Associação Brasileira de Marketing), desde a criação de um sistema informático, à ampliação do edifício e à elaboração de programas tanto a nível nacional como internacional. Ainda nos anos 90, lançou a revista Poesia Sempre, de projeção internacional, e foi secretário-geral da Associação das Bibliotecas Nacionais Ibero-Americanas.
Entre as várias obras do autor encontram-se Que País é este? (1980), A Poesia Possível (1987) e Textamentos (1999).
Como referenciar: Affonso Romano de Sant'Anna in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-25 12:53:02]. Disponível na Internet: