agência de informação

Categoria particular de empresas de comunicação social. O seu objetivo é angariar e tratar informações para a sua posterior divulgação junto dos seus clientes, onde se encontram órgãos de comunicação social. As agências de informação podem ter um carácter nacional ou internacional.
As agências de informação fornecem artigos, informações e imagens aos seus assinantes, para que estes utilizem esses elementos de acordo com as suas conveniências. Em 1953, num estudo, a Unesco definia as agências de informação como empresas que têm por objetivo procurar notícias e, de uma forma geral, os documentos de atualidade, tendo por motivo exclusivo a expressão ou a representação de factos e a sua distribuição pelos seus clientes, mediante um pagamento em prazos fixados e condições conforme as leis e costumes comerciais.
As agências de informação começaram a proliferar à medida que aumentou o fluxo de informação dentro e fora dos países. Perante este contexto, os órgãos de comunicação começaram a denotar incapacidade, técnica e humana, para reportarem a totalidade dos acontecimentos com relevância noticiosa. Assim, tornou-se comum recorrerem às informações produzidas pelas várias agências. Em termos internacionais, ao longo do século XX, cinco agências dominaram o cenário do fluxo de informação: a Associated Press, com sede em Nova Iorque (fundada em 1892); a France Presse (fundada em 1835, como Agência Havas), com sede em Paris; a Reuters (fundada em 1851), com sede em Londres; a United Press International (fundada em 1958), com sede em Nova Iorque; e a Tass (fundada em 1918), com sede em Moscovo. A hegemonia destas cinco agências processava-se a tal ponto que a Organização das Nações Unidas considerou que o facto de todas elas estarem sediadas no hemisfério Norte criava um forte desequilíbrio no fluxo internacional de informações, levando aquela organização a propor um plano que ficou conhecido como Nova Ordem Internacional da Informação.
As agências de informação produzem também imagens, através da captação de fotografias, de imagens em vídeo ou criação de infografias. As agências de informação podem também especializar-se em áreas distintas de informação (por ex., agências de fotojornalismo - o caso mais conhecido é o da agência Magnum).
Com o aparecimento das Novas Tecnologias da Comunicação, as agências têm vindo a salientar o seu papel de fornecedores de conteúdo, diversificando os seus produtos e multiplicando as suas tarefas de angariação, tratamento e difusão de informações. Dessa forma, as agências procuram responder às exigências de um sistema mediático mais competitivo e que precisa de produtos criados à medida do perfil das suas audiências.
O conteúdo do produto informativo das agências obedece a uma tipologia própria. O estilo de linguagem das agências é mais sintético e "telegráfico" do que aquele que se encontra nos órgãos de comunicação social. O objetivo é tentar produzir mensagens com conteúdos que sejam posteriormente tratados e formatados pelos jornalistas nas suas redações.

Como referenciar: agência de informação in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-20 17:17:59]. Disponível na Internet: