água

elemento
A água, tal como o sol, é praticamente inseparável da vida na Terra. Os conhecimentos de biologia permitem afirmar, com pequena margem de incerteza, que a vida teve origem primitivamente na água.

Em virtude da sua abundância e grande dispersão, a água é, por vezes, considerada como um líquido inerte, meramente destinado a preencher os espaços dos seres vivos. Contudo, a água é uma das substâncias mais importantes que existem, por ser absolutamente indispensável aos seres vivos, altamente reativa, com propriedades pouco frequentes que a diferenciam da maioria dos outros líquidos
.
A água e os produtos da sua ionização, iões hidrogénio (H+) e oxidrilo (OH-), são fatores imprescindíveis na determinação da estrutura e das propriedades biológicas de todos os componentes celulares.

A água possui pontos de fusão, ebulição e calor de vaporização, e uma tensão superficial de maior valor que os outros líquidos que contêm hidrogénio nas moléculas (H2S e NH3) e que a maior parte dos líquidos correntes. A coesão interna entre as moléculas da água é relativamente elevada.

Pelo seu poder ionizante, a água é um bom dissolvente. Muitos sais dissolvem-se com facilidade na água, assim como substâncias não iónicas como os açúcares, álcoois, aldeídos e cetonas.

A água encontra-se na natureza nos três estados: sólido, líquido e gasoso. A designação de água em sentido restrito reserva-se para o estado líquido, pois no estado sólido denomina-se granizo, neve ou gelo, e no estado gasoso vapor de água.

A água é um líquido inodoro, transparente e, quando observada em pequenas espessuras, incolor. Sendo uma substância com comportamento específico diferente do de qualquer outro composto conhecido, é a partir das suas propriedades físicas que se definem as dos outros compostos. Assim, por exemplo, o seu ponto de ebulição tomou-se para 100 na escala centígrada e o seu ponto de congelação tomou-se para zero na mesma escala.

A sua densidade máxima verifica-se à temperatura de 4 oC e é-lhe atribuído o valor 1, ou seja, é tomada como unidade para determinação da densidade.

Para a água ser considerada potável, deve apresentar as seguintes características qualitativas: não ter sabor; não ter cheiro; não se alterar com o tempo nem deixar depósito. Deve apresentar também as seguintes características quantitativas: ter o pH entre 5,0 e 8,5; a concentração de nitratos não ultrapassar 1,5 mg/l; o teor de cloretos não ultrapassar os 150 mg/l; a matéria oxidante não apresentar uma concentração, expressa em oxigénio, superior a 2,0 mg/l; o resíduo seco não ultrapassar os 100 mg/l e não ter presentes bactérias patogénicas, nem nitratos e amoníaco. A presença de nitratos é indicadora de água inquinada.

Para fins industriais, a água, dependendo da sua utilização, deve obedecer a outras condições. O teor de carbonatos e sulfatos dissolvidos na água denomina-se dureza.

A água que contém em solução sais minerais em quantidade suficiente para lhe caracterizar o sabor denomina-se água mineral. Em geral, sai da nascente a temperatura superior à do ambiente (se a diferença for superior a 5 ou 6 oC denomina-se água termal).

Em virtude do efeito terapêutico de algumas das substâncias dissolvidas designa-se, também, por água medicinal
.
simbologia
A tradição grega, bem como a maior parte das tradições do Mundo, aceita a existência de quatro elementos - ar, água, terra e fogo -, dos quais a água é o primeiro de um ciclo evolutivo da vida. Admitia-se ainda a existência de um quinto elemento, o éter, que tanto estaria ligado ao ar como ao fogo. Todos os elementos reagem uns com os outros e, por vezes, podem alterar a sua consistência e transformar-se num outro elemento.

A água era um elemento associado ao temperamento linfático e resultava a partir do frio e do húmido, sendo graficamente representada por linhas ondulantes.

Os Vedas indianos, como grande parte das tradições da Ásia, referem-se à água como fonte de vida, força, fertilidade e pureza tanto para o corpo como para o espírito, ligada à origem da vida, dado que antes de tudo existiam as águas primordiais.

A água corresponde ainda ao Yin e, segundo os alquimistas chineses, é o oposto do elemento fogo, a quem está também inevitavelmente ligada e no qual se transmuta.

Nas tradições judaica e cristã, a água é símbolo de mãe e primeira criação, está ligada aos oásis e à alegria da vida, da família, do casamento, do amor e da fertilidade. Purificadora, a água foi também escolhida pelo Espírito Santo como meio de transformação e de iniciação ao mundo divino. A água é ainda sinónimo de vida espiritual no episódio de Jesus no seu diálogo com a Samaritana.

Nas filosofias de iniciação maçónica, a água não era o primeiro mas sim o terceiro elemento, depois da terra e do ar, que significava a religião antes do quarto elemento, o fogo, que simbolizava a iniciação. A água era ainda sinónimo de emotividade e sensibilidade.

Os sufis muçulmanos estabelecem outro tipo de ordem nos elementos, na qual a água ocupa o terceiro lugar, depois do ar e do fogo e antes da terra.

A água é assim um estádio de evolução espiritual em que, após o ser humano se ter dado conta da existência da ilusão da vida (ar) e da sua recusa (fogo), chega a um ponto em que apreende a realidade divina primeiro através de uma imagem fluida e imprecisa (água), antes de se deparar com a realidade divina sólida (terra).

No Zodíaco, a água é o elemento ao qual pertencem os signos Caranguejo, Escorpião e Peixes. Jung considerava a água como um elemento passivo e feminino.

Os chineses consideram haver cinco elementos: água, madeira, metal, terra e fogo.

Segundo a filosofia chinesa, a água simboliza o que está em baixo, o Norte e o inverno e corresponde ainda ao salgado, à gravidade, à chuva, ao milho amarelo, aos rins, à cor negra, ao sangue, à cólera e à nota musical Yu.

A 22 de março, comemora-se o Dia Mundial da Água e a 1 de outubro o Dia Nacional da Água
.


Como referenciar: água in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-03-03 20:59:19]. Disponível na Internet: