Ahsonnutli

Era o deus mais importante dos venerados pelos índios americanos Navajo. Apelidavam-no de Homem-mulher turquesa, uma vez que lhe atribuíam particularidades dos dois sexos.
Tinha criado os pontos cardeais, que, para a maioria das tribos americanas tinham um significado extremamente importante, pois de cada um vinham fenómenos atmosféricos, entre outro género de acontecimentos, favoráveis ou desfavoráveis à sua sobrevivência. Cada um dos pontos tinha uma cor, sendo a do Sul o azul, a do Norte o negro, a do Oeste o amarelo e a do Este o branco. Eram sustentados por quatro gigantes (ou doze, conforme as versões) e cada um dos ventos que provinham destes pontos era diferente, formando as nuvens. Estas eram originadas pela aragem ou vento produzidos pela agitação das asas de cisnes brancos. Acreditava-se também que as queixas dos gigantes, provocadas pelo excessivo peso do céu, originavam as tempestades e os ventos.
Os cantores e sacerdotes usavam as cores dos pontos cardeais em variadas cerimónias, entre as quais algumas em que efetuavam desenhos na areia.
Este deus criou também o Céu e a Terra.
Como referenciar: Porto Editora – Ahsonnutli na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-07 09:44:23]. Disponível em