Alberto Moravia

Escritor italiano, pseudónimo literário de Alberto Pincherle, é uma figura marcante da literatura italiana do século XX. Nascido em 1907, em Roma, membro de uma família culta de origem judaica, colaborou em várias revistas da vanguarda literária.
Em 1929, publicou o romance de feição existencialista, Gli Indifferenti (Os Indiferentes), uma pintura corrosiva da classe média italiana, cuja edição foi financiada pelo próprio autor. Nos anos seguintes publicou Ambições Erradas e La Bella Vita (1935, A Boa Vida), enquanto viajou pelo mundo fora, combinando o trabalho de correspondente com o turismo. Porém, as suas relações com o regime fascista de Mussolini tornaram-se cada vez piores, o que levou o estadista a censurar a novela A Mascarada e conduziu Moravia ao exílio, em 1943.
Para além da sua atividade literária, manteve um forte empenhamento político e social. Assim, desde o pós-guerra, que Moravia se identificou com uma posição de independente dentro da esquerda italiana, o que o levou a apoiar nos anos sessenta a revolução cubana e as reivindicações do Terceiro Mundo. Nos anos 70 manteve fortes relações com as cúpulas do Partido Comunista Italiano e apoiou campanhas a favor de desarmamento e, em 1984, apresentou-se como candidato independente ao Parlamento Europeu. Faleceu em 1990.
Da sua obra fazem ainda parte Diciotto Liriche (1920), Il Conformista (1951), Racconti Romani (1954) e outros títulos.
Como referenciar: Alberto Moravia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 01:50:22]. Disponível na Internet: