Alexandros Papadiamantis

Escritor grego, representativo do realismo do século XIX e considerado um dos grandes escritores do seu país, nascido a 3 de março de 1851, em Skiathos, e falecido a 3 de janeiro de 1911, no mesmo local. Filho mais velho de um padre ortodoxo, saiu cedo da ilha natal de Skiathos e viveu muitos anos em Atenas onde trabalhou como jornalista e tradutor. Escreveu em katharevousa, a língua culta da época (mais próxima do grego antigo do que da língua falada), a que acrescentou regionalismos.
Observador atento dos usos, costumes e valores morais da sua época, Alexandros Papadiamantis escreveu novelas e romances em que conta histórias das gentes da sua ilha natal. As suas obras foram primeiro publicadas nos jornais gregos em capítulos. Só em 1912, no ano a seguir à sua morte, é que o seu legado literário começou a ser publicado em livro pela editora Iexis de Atenas. É o caso de A Ciganita (tradução em português do título grego original H ΓυφτοΠουλα) e de A Assassina (tradução em português do título grego original H Φονισσα), esta última considerada a obra mais importante do autor.
Traduziu também obras de Turgueniev, Dostoievski, Maupassant, Anatole France, Alphonse Daudet.
Como referenciar: Alexandros Papadiamantis in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-06 06:31:56]. Disponível na Internet: