Alfredo Tropa

O cineasta Alfredo Ricardo Rezende Tropa nasceu em 1939, no Porto. Em 1958 partiu para Coimbra para frequentar a Faculdade de Ciências, começando a interessar-se pelo cinema através do movimento cineclubista. Em 1960, nessa mesma cidade, iniciou-se na curta-metragem. Foi para Paris no ano seguinte, onde, usufruindo de uma bolsa de estudo do Fundo de Cinema Nacional, frequentou o IDHEC e se diplomou em Realização.
Após um estágio na televisão francesa, regressou ao nosso país e fundou, juntamente com outros cineastas, a Média Filmes. Foi assistente de realização em algumas películas, como Mudar de Vida, de Paulo Rocha, e Uma Abelha na Chuva, de Fernando Lopes, tendo também uma atividade contínua no domínio das curtas-metragens. Em 1968, ingressou na Radiotelevisão Portuguesa.
Sendo fundador do Centro Português de Cinema, fez parte do primeiro grupo de realizadores subsidiados pela Fundação Calouste Gulbenkian no apoio que esta entidade prestou ao lançamento do chamado Cinema Novo.
Na filmografia de Alfredo Tropa destacam-se Inundações (curta-metragem, 1960), Regata (curta-metragem, 1968), Um Homem, Uma Obra (curta-metragem, 1973), Pedro Só (1970-1971) e Bárbara (1979-1980). Deve referir-se ainda a série televisiva O Povo que Canta, de 1971.
Como referenciar: Alfredo Tropa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 06:53:27]. Disponível na Internet: