Almeirim


Aspetos Geográficos
O concelho de Almeirim, do distrito de Santarém, localiza-se na Região do Alentejo (NUT II), na Lezíria do Tejo (NUT III). Situado na margem esquerda do rio Tejo e limitado a noroeste pelas serras de Aire e Candeeiros, faz fronteira a norte com o concelho de Alpiarça, a sul com os concelhos de Coruche e Salvaterra de Magos, a este com Chamusca e a oeste com Cartaxo e Santarém. Almeirim é uma planície arenosa, com altitude máxima de 43 metros, estando associada a solos pobres.
No total, abrange uma área de cerca de 222,3 km2 e é constituído por 4 freguesias: Almeirim, Benfica do Ribatejo, Fazendas de Almeirim e Raposa. Em 2005, o concelho apresentava 22 434 habitantes.
O natural ou habitante de Almeirim denomina-se almeirinense.

História e Monumentos
Almeirim foi fundada em 1411 por D. João I, mas remonta já ao domínio romano (foi descoberto material cerâmico do séc. I). Mais tarde, pensa-se que foi habitado pelos mouros uma vez que foram encontrados concheiros em Benfica do Ribatejo.
No século XIV, o concelho, considerado na altura "Sintra de inverno", era ponto de passagem de reis e senhores que vinham tratar de negócios do reino e aproveitavam para passar momentos de entretenimento: era um lugar de grandes coutadas de caça pela proximidade do Tejo, Santarém e Lisboa.
O Palácio Real, demolido em 1890, foi palco de importantes cortes nomeadamente a de 11 de janeiro de 1580 e esteve associado a problemas de sucessão ao trono, depois da morte de D. Sebastião. Almeirim foi também o cenário escolhido por Gil Vicente para representação de muitas das suas peças como por exemplo a sua comédia o Auto da Fé (1510).
A nível de monumentos salientam-se os seguintes: a Igreja Matriz de Almeirim (séc.XVI), famosa pela imagem de Senhor Jesus dos Passos, no seu interior; o Pórtico de Paço dos Negros (séc. XVI); o Palácio da quinta da Alorna (Solar do séc. XIX); a Quinta de Santa Marta (séc. XVII), que outrora pertenceu à Casa da Atalaia; a Fonte de S. Roque, construída pelos mouros e a Barragem dos Gagos.

Tradições, Lendas e Curiosidades
Das feiras que se realizam no concelho, destacam-se a Feira Anual, no quinto domingo da Quaresma, e a do Mercado, no primeiro domingo de cada mês.
O Feriado Municipal é a 1 de maio.
As touradas têm grande tradição na região, realizando-se pontualmente.
A nível de artesanato podem encontrar-se trabalhos em ferro forjado e madeira, botas e botins, tanoaria, tapeçaria em tear manual, rendas, pinturas em vidro, crivos, latoaria, azulejos, cestaria e colheres de pau.

Economia
A maior parte da população encontra-se empregada no setor terciário relacionado com o comércio, bancos, e seguros, transportes e comunicações, administração pública e serviços.
Segue-se o setor secundário, destacando-se as indústrias de construção e obras públicas, metalurgia, metalomecânica, material elétrico e transportes, calçado, vestuário e têxteis, alimentação e bebidas, madeira e cortiça.
O setor primário está relacionado com a plantação da vinha, com as culturas frutícolas e horto-frutícolas, o tomate e o milho. Na produção pecuária dominam os suínos.
Como referenciar: Almeirim in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-19 18:22:55]. Disponível na Internet: