Amadeu Lopes Sabino

Escritor português, nascido em 1943, em Elvas. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, foi advogado, jornalista e docente universitário em Portugal. Preso pela PIDE e incorporado em regime disciplinar militar, exilou-se na Suécia entre 1973 e 1975. Funcionário da União Europeia a partir de 1984, foi diretor no Serviço Jurídico do Conselho da União e conselheiro especial do Presidente da Comissão, Durão Barroso. Novelista, romancista e ensaista caraterizado (in História da literatura portuguesa, 17ª ed., de António José Saraiva e Óscar Lopes, Porto Editora, Porto, 2008) “pela agilidade da narração e por um requintado hedonismo”, é autor de uma obra em que Álvaro Manuel Machado (in Dicionário de Literatura Portuguesa, Presença, Lisboa, 1996) releva “uma irónica interrogação sobre o passado dito glorioso de Portugal e, simultâneamente, um pendor autorreflexivo, cosmopolita e quase autobiográfico”. Escritor da expatriação e dos exílios, exteriores e interiores, evoca, de acordo com Eduardo Lourenço (in Identidades fugidias, Câmara Municipal, Guarda, 2001), a vivência no estrangeiro, “amarga como muitas, mas, como poucas, libertadora”.
Como referenciar: Amadeu Lopes Sabino in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-12 03:42:22]. Disponível na Internet: