Amarcord

Realizado em 1973 por Federico Fellini e coproduzido pela França e a Itália, Amarcord é simultaneamente uma comédia e um drama fantasista. Foi interpretado por Pupella Maggio, Armando Brancia, Magali Nöel, Bruno Zanin, Ciccio Ingrassia, Nando Orfei e Luigi Rossi, tendo sido escrito por Fellini e Tonino Guerra.
"Amarcord" é um termo que em dialeto romano significa "recordo-me". É esse o mote programático que o realizador italiano usou para esta história: uma reinvenção das suas lembranças de adolescência tornadas retrato irónico e fantasista da Itália dos anos 30, onde é impossível destrinçar aquilo que Fellini viveu verdadeiramente daquilo que inventou. Como ele próprio diz: "uma certa tendência para uma interpretação fantasiosa das coisas, uma certa visionação, creio que sempre tive".
Passado em Rimini (terra natal de Fellini), cidade do Adriático, alguns anos antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial, o filme mostra a vida de Titta (Bruno Zanin), um jovem oprimido entre o ensino católico, a ordem fascista e o ambiente familiar. Entre o sonho e a realidade, Titta vai vivendo momentos que se tornarão inesquecíveis: a passagem do transatlântico, o rali das Mil Milhas, a morte da mãe (Pupella Maggio), o despertar para a sexualidade, etc. Contando os episódios da vida de Titta, Fellini constrói um quadro social bizarro e carnavalesco (tema que se tornou, aliás, imagem de marca da sua obra), repleto de detalhes, centrado nas personagens excessivas e que roçam o caricatural, embora sempre detentoras de enorme densidade humana.
Organizado como um conjunto de episódios que desafia os cânones narrativos clássicos, cada plano é trabalhado como se fosse um quadro vivo - para o que muito contribui a fotografia de Giuseppe Rotunno. Inesquecível é também a banda sonora de Nino Rota, colaborador habitual de Fellini e autor da partitura de The Godfather (O Padrinho, 1972) de Francis Ford Coppola.
Amarcord venceu o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e obteve duas outras nomeações: Melhor Realizador e Melhor Argumento Original. Foi ainda nomeado para o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.
Como referenciar: Porto Editora – Amarcord na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-21 15:23:25]. Disponível em