ambientalismo

Por ambientalismo entenda-se a promoção da conservação e recuperação do meio ambiente, podendo designar-se também por conservacionismo. O ambientalismo assume duas facetas: a política e a científica. A primeira pressupõe o assumir do ambientalismo, ou "Política Verde", como objeto de luta política, podendo ser moderado ou radical, nem sempre científico; a segunda, não descurando o ativismo e mesmo alguma radicalidade, é essencialmente moderada e com maior base em princípios científicos. Não se deverá, todavia, confundir com ecologia, que é o ramo da biologia que estuda as relações entre os seres vivos e o meio natural em que vivem ou de que dependem. Ambientalismo é acima de tudo ação, campanha a favor do ambiente. Como o ecologista é o estudioso da ecologia, enquanto que ambientalista é todo aquele, isolado ou em grupo, que se preocupa com a degradação do ambiente, que pretende impedir e ajudar, politicamente, a preservar.
No ambientalismo poderíamos referir como exemplo o Greenpeace, grupo radical de luta pela preservação ambiental, mas sem extremismo político, como acontece com outros movimentos. Estes grupos, radicais ou extremistas, mais ou menos politizados, são porém pouco ou nada científicos, demonstrando-o, por exemplo, quando negam conhecimento, por parte da comunidade científica, dos problemas e incidências do aquecimento global na Terra. O ambientalismo é já considerado, nos EUA, como um "grupo de interesse", de pressão, com impacto político e social nas classes média e alta, assumindo por isso um certo elitismo; na Europa é mais visto como um "movimento social", ao lado do feminismo ou do pacifismo, por exemplo. O ambientalismo, surgido a partir dos anos 60 e 70, tem-se enquadrado, nos últimos vinte anos, em várias ONG's, que centram a sua luta essencialmente nos seguintes temas:
Biodiversidade Alterações climáticas da Terra
Deterioração da camada de ozono
Extinção de espécies
Produtos radioativos
Chuva ácida
Produtos transgénicos
Como referenciar: ambientalismo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-15 09:03:42]. Disponível na Internet: