André Leroi-Gourhan

Etnólogo e arqueólogo francês, André Leroi-Gourhan nasceu em 1911, em Paris. Recebeu uma formação em línguas orientais (russo e chinês) antes de se dedicar à Etnologia e à Arqueologia. Leroi-Gourhan doutorou-se em Arqueologia, na Universidade de Lyon, em 1945, depois de realizar trabalho de campo no Japão entre 1937 e 1939. Foi professor de Etnologia na Universidade de Lyon, e fundador do Centre de Formation à la Recherche Ethnologique, no Musée de l'Homme, de que foi diretor, desde o final da Segunda Guerra Mundial até 1954. Entre 1956 e 1967 Leroi-Gourhan foi professor de Etnologia Geral na Universidade de Paris. Em 1968 foi nomeado professor de Pré-história do Collège de France.
Autodidata e académico muito versátil, Leroi-Gourhan deixou importantes contribuições em vários ramos do conhecimento, com destaque para a Antropologia Física, a Etnologia e a Pré-História. São importantes as descobertas de Leroi-Gourhan sobre a arte e indústria de instrumentos dos povos pré-históricos, em particular do Alto Paleolítico (Arquéologie du Pacifique Nord, 1946).
Estas descobertas relacionam-se diretamente com o trabalho de Leroi-Gourhan em Antropologia Física, e com os seus estudos da hominização, em que lança a hipótese de que a libertação da mão pelo emprego de instrumentos rudimentares permitiu o desenvolvimento muscular do crânio humano e conduziu ao posterior aumento de capacidade craniana, a que correspondeu o desenvolvimento das capacidades de simbolização do Homem (Le geste et la parole, 1964-1965).
Finalmente, os estudos etnológicos de Leroi-Gourhan, também diretamente relacionados com o estudo da evolução da tecnologia, do homem e das sociedades, constituem, provavelmente, a sua principal contribuição académica (Au fil du temps. Ethnologie et pré-histoire, 1983). Leroi-Gourhan propôs aquela que é a principal corrente atual de tecnologia cultural, ao considerar que as semelhanças detetadas na produção tecnológica de cada período civilizacional resultam do que ele denomina como tendências ("tendance"). Esta é a propensão dos grupos para repetirem as ações técnicas e assim desenvolverem meios tecnológicos idênticos em dado período histórico, como resultado da ligação profunda entre as relações sociais e os significados da tecnologia. É, portanto, a dimensão social da inovação tecnológica que conduz a que esta seja sempre limitada.
O trabalho científico de André Leroi-Gourhan caracterizou-se por uma grande profundidade metodológica e teórica, numa construção académica rigorosamente aplicada a diversas disciplinas e áreas do saber, tendo como principal preocupação epistemológica o homem, enquanto totalidade, centro e medida de todo o conhecimento.
Leroi-Gourhan morreu em Paris no ano de 1986.
Obras importantes:
1936, La civilization du renne
1943-1945, L'Homme et la matière (2 vol.)
1972, Fouilles de Picevent. Essai d'analyse etnographique d'un habitat magdalénien
1982, Les racines du monde. Entretiens avec Claude Henri Rocquet
1983, Mécanique vivante. Le crâne des vertébrés du poisson à l'Homme
Como referenciar: Porto Editora – André Leroi-Gourhan na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-27 14:11:16]. Disponível em