Ângelo Correia

Político e governante português, Ângelo Correia estudou no Liceu D. João de Castro, em Lisboa, tendo depois ingressado no Instituto Superior Técnico. Apesar de se ter formado em Engenharia, a nível profissional trabalhou quase sempre na área de gestão, para o que se valeu de um curso superior na área de Administração de Empresas que concluiu posteriormente.
Na sua juventude, Ângelo Correia, que prestou serviço militar em Timor-Leste, também tinha feito parte da Mocidade Portuguesa, instituição com a qual se incompatibilizou.
No entanto, notabilizou-se na política. Amigo pessoal de Francisco Sá Carneiro, foi, com ele, um dos fundadores do Partido Popular Democrático (PPD), em maio de 1974. Em 1974 e 1975, viveu momentos difíceis ao tentar implementar este partido de direita em Aveiro, tendo participado em comícios onde chegou a haver tiros. Nesta época conturbada a nível interno em Portugal, ajudou a defender bases militares, como a de Cortegaça.
Ângelo Correia tornou-se deputado à Assembleia da República em 1975, tendo concorrido nas listas do PPD pelo círculo eleitoral de Aveiro, situação que se repetiu em todas as eleições legislativas seguintes.
Em 1979, foi nomeado ministro da Administração Interna de um governo liderado pelo Primeiro-Ministro Francisco Sá Carneiro. O PPD chegou ao governo após ter formado a Aliança Democrática, juntamente com o Centro Democrático Social e o Partido Popular Monárquico.
Em 1982, viveu outro momento conturbado, numa época marcada por greves gerais e manifestações organizadas pelo Partido Comunista Português. Ângelo Correia tentou contribuir para a estabilidade da sociedade portuguesa.
Entretanto, não voltou a ocupar cargos governativos, mas foi sempre eleito para o Parlamento.
Foi ainda presidente da delegação portuguesa à Assembleia do Atlântico.
Ângelo Correia tornou-se um dos elementos históricos do Partido Social Democrata (ex-PPD) e uma das suas vozes mais respeitadas.
Como referenciar: Ângelo Correia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-20 17:37:24]. Disponível na Internet: