Artigos de apoio

António Chainho
Guitarrista, António Dâmaso Chainho nasceu na aldeia de S. Francisco da Serra, junto a Santiago do Cacém, no Alentejo, no dia 27 de janeiro de 1938. É um dos mais virtuosos mestres da guitarra portuguesa, quer a acompanhar grandes nomes do fado quer na carreira a solo.
Começou a tocar guitarra portuguesa quando tinha apenas oito anos, na guitarra do pai, que era proprietário do café da aldeia. Depois foi apurando a sua técnica, imitando o trinar de grandes guitarristas que ouvia na rádio, como Armandinho. Com o ouvido apurado, aos 13 anos já se apresentava em público.
Tendo apenas a Quarta Classe foi, inevitavelmente, chamado para cumprir o serviço militar obrigatório. No final, decidiu seguir a carreira de guitarrista e mudou-se para Lisboa. Só que não teve vida fácil. Alguns dos guitarristas instalados, que admirava à distância, não confiaram na sua técnica, provavelmente ainda com algumas carências, pelo que não foi aceite em várias casas de fado. Mas, com o tempo, foi afirmando a sua virtude.
António Chainho estreou-se em Lisboa, numa coletividade na Praça do Chile. Mas passou por outras casas da maior importância, com destaque para A Severa, O Faia e O Folclore. Ainda nos anos 60, passou a ter o seu próprio espaço: O Picadeiro, e formou o seu próprio conjunto de guitarras, que incluía José Luís Nobre Costa, Raul Silva, José Maria Nóbrega, entre outros. Acompanhou alguns dos maiores nomes do fado, entre os quais, Maria Teresa de Noronha, Lucília do Carmo, Hermínia Silva, Francisco José, Tony de Matos, António Mourão, Frei Hermano da Câmara ou Carlos do Carmo.
Também foi convidado para o programa Fados e Guitarradas, da Emissora Nacional, e gravou o seu primeiro disco, o EP Solos de Chainho. Nos anos 70 gravou outros três discos a solo, de pequeno formato e, em 1980, o seu primeiro álbum, Guitarra Portuguesa. Foi então que decidiu criar as condições para uma carreira a solo, invertendo a tradicional lógica de subserviência da guitarra à voz. Atuou em palcos de todo o mundo e em duetos com grandes guitarristas internacionais, como Paco de Lucia e John Williams. Simultaneamente apostou em novas sonoridades, participando no álbum Fura Fura, de Zeca Afonso, e Fado Bailado, de Rão Kyao. Este último só com guitarra e saxofone. Acompanhou à guitarra as brasileiras Fafá de Belém e Gal Costa, a espanhola Maria de Lurdes Padreira e a japonesa Saki Kubota. Participou no Red Hot + Lisbon, acompanhando a americana KD Lang, numa versão muito especial do Fado do Hilário. E é o guitarrista de "Um Homem na Cidade", de Carlos do Carmo, que é um dos mais marcantes álbuns de fado das últimas décadas. Mais tarde acompanhou outros grandes intérpretes, como José Carreras, Adriana Calcanhotto, Maria Bethânia ou Lucio Dalla.
Em 1996, gravou um álbum ao vivo com a London Philarmonic Orchestra. Dois anos depois, deu um passo importante e ousado para a sua carreira a solo, ao gravar A Guitarra e Outras Mulheres. Um álbum em que escolhe seis mulheres para cantarem os seus fados: a vocalista dos Madredeus Teresa Salgueiro, a fadista em início de carreira Ana Sofia Varela, a brasileira Elba Ramalho, a cantora dos LUA Extravagante Filipa Pais, a vocalista dos brasileiro-britânicos Smoke City e cantora de soul e hip-hop Marta Dias. Tudo isto acompanhado por grandes instrumentistas nova-iorquinos, incluindo Greg Cohen e Bruce Swedien.
Entre estas mulheres, Chainho preferiu Marta Dias. E ao seu lado desenvolveu um projeto híbrido, com digressões nacionais e internacionais, que atingiu o seu auge com o álbum Ao Vivo no CCB (CD-2003, DVD-2005). Além de Fernando Alvim, violista que o acompanhou durante mais de uma década, este álbum conta com as presenças dos guitarristas brasileiros Tuniko Goulart e Edu Miranda, além da participação especial de Rão Kyao.
Pelo caminho, outro álbum pouco usual: Lisboa-Rio (2000) estabelece uma ponte musical entre Portugal e o Brasil. Produzido por Celso Fonseca e Beco Dranoff, conta com as participações de Ney Matogrosso, Paulinho Moska, Virgínia Rodrigues, Juçara Silveira, Jacques Morelenbaum, Armandinho, Dominguinhos, entre outros.
Professor de guitarra na Casa do Fado e da Guitarra Portuguesa, em Alfama, António Chainho é um dos mais internacionais músicos portugueses, sendo conhecido como o embaixador da guitarra portuguesa.
Como referenciar: António Chainho in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-06-27 01:11:39]. Disponível na Internet: