António Champalimaud

Empresário português, António de Sommer Champalimaud nasceu a 19 de março de 1918, em Lisboa e estudou na Faculdade de Ciências de Lisboa. Possuidor de uma inteligência notável e vocacionada para os negócios, é considerado o maior industrial de toda a história portuguesa. O seu maior negócio são os bancos privados.
Enquanto dono do Banco Pinto & Sotto Mayor (BPSM), e durante o regime salazarista, Champalimaud tentou, por três vezes, comprar o Banco Português do Atlântico (BPA), mas não teve sucesso.
Os seus negócios também se estendiam a outras áreas. Ampliou o seu império com a compra da Siderurgia Nacional, a Ferrominas e a Cometna. Começou a investir no setor da celulose e tornou-se acionista das seguradoras "Confiança" e "A Mundial". A Companhia Industrial Portugal e Colónias, Portugália e Hotel Penta são outras das empresas onde Champalimaud passou a deter importantes participações. Em 1974 era dono do segundo maior grupo industrial do país e fundou a empresa Cimentos de Leiria. Com a revolução dos cravos, em abril de 1974, iniciou-se uma série de medidas que pretendiam retirar direitos aos capitalistas, nacionalizando as suas empresas. Em 1975 os bens de Champalimaud foram nacionalizados, e o empresário resolveu ir viver para o Brasil.
É nesse país que consegue reerguer o seu património, através da exploração agrícola, criação de gado e produção de cimento. Em poucos anos passou a dominar a produção cimenteira, incluindo a das ex-colónias.
Depois de a democracia portuguesa ter estabilizado, António Champalimaud teve a oportunidade de voltar a entrar nos negócios portugueses. Com o governo de Cavaco Silva, conseguiu tornar-se proprietário de um dos maiores grupos bancários de Portugal, quando comprou o Banco Pinto & Sotto Mayor (de que tinha sido dono antes das nacionalizações), o Banco Totta & Açores (BTA) e, mais indiretamente, o Crédito Predial Português (CPP). O Banco Santander Central Hispano (BSCH) assinou em 2004 um acordo com António Champalimaud para a aquisição do BTA e do CPP. O Banco Pinto & Sotto Maior passou também para as mãos do Banco Comercial Português de Jardim Gonçalves. Em 1999, Champalimaud vendeu o Banco Totta & Açores e o Crédito Predial Português ao Banco Santander Central Hispano.
António Champalimaud morreu a 8 de maio de 2004, em Lisboa, com 86 anos, vítima de doença prolongada.
Considerado o empresário mais rico de Portugal, em 2003, foi um dos três portugueses a fazer parte da lista de multimilionários da revista americana Forbes, estando a sua fortuna avaliada em mais de 1,2 mil milhões de euros.
Como referenciar: António Champalimaud in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-02-21 15:30:08]. Disponível na Internet: