António Cordeiro

Jesuíta português nascido em 1640, em Angra, e falecido em 1722, em Lisboa. Aos 17 anos entrou para a Companhia de Jesus em Coimbra, onde estudou Filosofia e Retórica. Entre os 24 e os 26 anos foi professor em São Miguel, tendo depois voltado a Coimbra para estudar Teologia, após o que permanece no continente, primeiro em Lisboa e depois em Coimbra, como professor de Filosofia e de Teologia.
Os estudos que António Cordeiro empreendeu em Coimbra, onde se seguia um plano de aulas com base nas propostas da escolástica, marcaram profundamente a orientação geral do seu pensamento, que se enquadra no âmbito do aristotelismo aí professado.
Todavia, a sua fidelidade ao pensamento escolástico vê-se muitas vezes abalada, num ou outro aspetos recebidos como influência estrangeira da modernidade. Assim, podemos descobrir a adesão deste jesuíta a certas ideias de Descartes e de Gassendi, por exemplo. Do primeiro podemos verificar a influência através da sua conceção mecanista dos organismos e ainda através da doutrina do inatismo, que António Cordeiro parece ter assumido de um modo muito particular. De Gassendi, Cordeiro recebeu e refletiu a teoria corpuscular da matéria.
Não se pode afirmar, contudo, que António Cordeiro deixe de ser um escolástico, trata-se de um autor de transição, que tentou ordenar em si uma educação aristotélica e uma certa inclinação para novas ideias da modernidade. Esta transição processar-se-ia depois de modo abrupto com a reforma pombalina, meio século após a sua morte.
Como referenciar: António Cordeiro in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-23 04:10:08]. Disponível na Internet: